A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Acessos ao Monte Branco só com reserva nos refúgios

Acessos ao Monte Branco só com reserva nos refúgios
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Para evitar a desordem, o lixo e o impacto ambiental, o acesso ao teto da Europa foi regulamentado. Subir ao Monte Branco só será possível agora com a prova da reserva feita num dos três refúgios do percurso.

A brigada branca faz cumprir as regras. Christophe Delachat conta as razões destas medidas restritivas: "Os alpinistas subiam por qualquer sítio, de qualquer maneira, acampavam ao redor dos refúgios, e havia mais de 260 pessoas todos os dias. Tínhamos de passar no meio dos excrementos para chegar ao Monte Branco. Estava tudo sujo, muito sujo, as pessoas não levavam o lixo para baixo".

Agora os acessos são limitados. Não sobem mais do que 214 pessoas por dia, o número de lugares disponíveis nos refúgios Nid d'aigle, Tête Rousse e Goûter.

"Isto é bom para o meio ambiente, é bom para o local, acrescenta valor, ajuda a proteger o meio ambiente e evita que se torne uma auto-estrada de turistas que venham fazer disparates", diz um alpinista francês.

Outro acrescenta: "Há uma tal loucura por este cume que temos agora de viver com estas novas regras e, por vezes é demasiado, gostaríamos que a montanha fosse um espaço um pouco mais livre".

Os autarcas queixam-se de falta de mecanismo para impor regras: "O problema é que as sanções não existem. Não há nenhuma lei que proíba as pessoas de subir ao Monte Branco com uma bicicleta ou com o que quer que seja. Assim, há pessoas que agem de má-fé e que dizem: "Se não é proibido, é permitido", diz o autarca de Saint Gervais Les Bains, Jean-Marc Peillex, que cansado da incivilidade das pessoas decidiu criar as Brigadas Brancas.

Mas, no Monte Branco só não é proíbido respeitá-lo como um santuário da natureza.