Última hora
This content is not available in your region

Emmanuel Macron forja aliança com Giuseppe Conte

Emmanuel Macron forja aliança com Giuseppe Conte
Tamanho do texto Aa Aa

Os governos de França e Itália selaram esta quarta-feira em Roma as bases de uma nova aliança com o acordo sobre um projeto de repartição de migrantes pela União Europa.

Após meses de atrito transalpino, motivado sobretudo pela posição mais extremada do anterior ministro do Interior italiano, Emmanuel Macron e Giuseppe Conte concordaram num mecanismo automático de acolhimento de migrantes que pretendem defender lado a lado em Bruxelas.

O presidente francês considerou agora que "a União Europeia não deu provas suficientes de solidariedade aos países de chegada dos migrantes". "Em particular à Itália", especificou.

"A França está pronta a progredir nesta questão, no âmbito de uma revisão completa dos acordos de Dublin. Espero que possamos trabalhar numa solução nova, mais forte, mais solidária", perspetivou Macron.

O presidente francês, que teve também oportunidade de visitar o homólogo Sergio Mattarella, falou aos jornalistas ladeado por Giuseppe Conte, no final do primeiro encontro entre ambos após a recente recondução do chefe do Governo italiano e o afastamento do palco de decisões em Roma do nacionalista Mateo Salvini.

"Estamos a atravessar uma fase crucial na Europa. Vamos trabalhar com uma nova comissão, que seguramente nos irá dar a oportunidade de trabalharmos no crescimento económico, na criação de emprego e no reforço da segurança e da coesão social no continente europeu", afirmou Conte, numa declaração onde também não poupou o antigo ministro do Interior.

Conte afirmou ser "preciso remover a propaganda da questão da migração". "Uma propaganda que é também antieuropeia", acrescentou.

"Temos de continuar a oferecer uma resposta rigorosa porque a Itália não quer baixar a guarda contra o tráfico ilegal, o tráfico de vidas humanas", precisou Giuseppe Conte.

França e Itália exigem que todos os Estados membros partilhem o acolhimento aos migrantes sob ameaça de sanções financeiras, mas houve mais temas tratados deste encontro, como resume a correspondente da Euronews em Roma.

A visita oficial do Presidente francês Emmanuel Macron a Roma marca o regresso da Itália à mesa europeia, mas serviu também para forjar uma nova aliança estratégica: de um lado, a França de Macron, que pretende assumir da Alemanha de Merkel o papel de liderança da Europa; do outro, a Itália, que, em conjunto com a França, pretende ganhar o braço de ferro da economia e conseguir maior flexibilidade de Bruxelas.
Giorgia Orlandi
Correspondente da Euronews em Itália
A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.