Última hora

Jeremy Corbyn: "Queremos que o país se livre deste governo imprudente"

Jeremy Corbyn: "Queremos que o país se livre deste governo imprudente"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Partido Trabalhista deu 'luz verde' a Boris Johnson para que haja eleições antecipadas no Reino Unido, a 12 de dezembro. O voto "sim" dos trabalhistas fez com que o parlamento britânico aprovasse por maioria aquele que poderá ser o primeiro escrutínio do mês de Dezembro em quase um século.

O primeiro-ministro britânico apresentou várias propostas e à quarta foi de vez. O resultado da votação foi de 438 'sins' e 20 'nãos'. O documento tem agora de ser aprovado pela Câmara dos Lordes.

Boris Johnson, persistente, culpava os deputados britânicos de obstruírem soluções para o Brexit, prejudicando a economia do país.

"Ficamos sem outra opção senão a de recorrer aos britânicos (...)"
Boris Johnson
Primeiro-ministro do Reino Unido

Para Boris Johnson, a opção de antecipar as eleições era a única disponível e a única que "iria libertar os britânicos deste impasse". O primeiro-ministro, durante a sessão do parlamento, admitiu que as eleições antecipadas vão permitir "um parlamento novo e revitalizado com um novo mandato" que "cumpra a vontade do povo e conclua o Brexit.".

Voto "sim" da oposição

O líder da oposição, Jeremy Corbyn, não aceitou as eleições antecipadas propostas outras três vezes por Boris Johnson porque não queria, em cima da mesa, a possibilidade de uma saída do Reino Unido do bloco europeu sem acordo. Depois da União Europeia ter alargado o prazo do Brexit por três meses, Corbyn 'entrou no barco' com Boris, preparado para uma campanha com apenas um comandante à frente do navio.

"Queremos que este país se livre deste governo conservador imprudente e destrutivo." A frase é de Jeremy Corbyn, depois de dar luz verde às eleições.

A força dos trabalhistas não se verifica, no entanto, nas sondagens deste mês. Os conservadores de Boris Johnson estão à frente dos trabalhistas de Corbyn em 10 pontos percentuais.

Reuters
Manifestantes contra o Brexit frente ao parlamentoReuters

Nas ruas, os britânicos queixam-se de cansaço com o tema. "Alguma coisa tem de acontecer porque estou cansado, tal como a maioria da população deste país: está cansada do Brexit", admite aos jornalistas um britânico.

"Provavelmente vou votar, mas não sei em quem e nem sei para quê.", admite uma jovem, também perguntada sobre as eleições.

Boris Johnson está confiante na vitória nas supostas eleições pré-natalícias, mas se nenhum partido obtiver um resultado claro, o impasse do brexit poderá continuar durante mais tempo.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.