EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Brexit divide campanha e intenções de voto

Brexit divide campanha e intenções de voto
Direitos de autor 
De  Teresa Bizarro
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Primeiro fim-de-semana na estrada a caminho das eleições de 12 de dezembro

PUBLICIDADE

A menos de seis semanas das eleições antecipadas, o Reino Unido já entrou em modo de campanha eleitoral. Jeremy Corbyn esteve em Swindon, considerado o maior pólo industrial do sudoeste da Inglaterra. O líder Trabalhista mostra-se satisfeito por ter travado uma saída da União Europeia sem acordo a 31 de outubro, mas diz que os desafios não terminaram e que um Brexit desregulado atiraria o país "diretamente para os braços de Donald Trump". Para Corbyn, estariam criadas as condições para um acordo pobre com uma fatura elevada nos serviços públicos.

Boris Johnson prepara-se para deixar cair a ameaça de uma saída sem acordo. É o que diz o jornal The Times. O ainda primeiro-ministro britânico e líder conservador muda a frase de posicionamento e de "um Brexit de qualquer forma" passa a querer uma saída "imediata".

A mudança foi rapidamente criticada por Nigel Farage, o líder do Partido do Brexit. Farage quis fazer uma aliança com os conservadores para as eleições de dezembro. A ideia não colheu, mas o líder eurocéptico mantém-se atento à estratégia de Boris Johnson.

A mudança foi rapidamente criticada por Nigel Farage, o líder do Partido do Brexit. Farage quis fazer uma aliança com os conservadores para as eleições de dezembro. A ideia não colheu, mas o líder eurocéptico mantém-se atento à estratégia de Boris Johnson.

Analistas dizem que o objetivo do primeiro-ministro britânico é agora conseguir apoios nos Liberais Democratas - um partido que ganhou antigos deputados conservadores, descontentes com o rumo de Boris Johnson.

Jo Swinson tem capitalizado o descontentamento dos partidos clássicos. Os Liberais Democratas querem ser fiel da balança.

Swinson não esconde a intenção: quer voltar a por o país com os dois pés dentro da União Europeia. diz que não há outra escolha e que se deve aproveitar a oportunidade que ainda existe.

É também este o propósito o Partido Nacional Escocês. Nicola Sturgeon tem no entanto uma outra ameaça para velar: a de um referendo sobre a independência da Escócia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Farage disponível para aliança eleitoral com Boris Johnson

William apareceu sem Kate na "Garden Party" de verão do Palácio de Buckingham

Chanceler austríaco saúda Sunak pelo plano de deportação para o Ruanda