Última hora
This content is not available in your region

Seis mortos a tiro em hospital e atirador suicida-se após fuga

euronews_icons_loading
Polícia e equipas de socorro diante do hospital onde ocorreu o tiroteio
Polícia e equipas de socorro diante do hospital onde ocorreu o tiroteio   -   Direitos de autor  Jaroslav Ozana/CTK via AP
Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos seis pessoas morreram e duas ficaram feridas no Hospital de Universitário de Ostrava, na República Checa, após uma pessoa ter entrado no edifício e começado a disparar uma arma de fogo à queima roupa contra pessoas na sala de espera.

O balanço de vítimas está a ser avançado pela polícia local e atualiza a primeira informação de quatro mortos e dois feridos graves.

O ataque aconteceu depois das 07 horas da manhã locais (menos uma hora em Lisboa).

O atirador colocou-se em fuga num automóvel, mas foi identificado, tendo sido revelada inclusive uma foto com a descrição de "criminoso perigoso e provavelmente armado".

O homem já foi encontrado pelas autoridades, adianta a polícia checa pelas redes sociais.

O suspeito terá cometido suicídio dentro do veículo da fuga, com um tiro na cabeça, antes de ser capturado. Os motivos do tiroteio estão a ser investigados.

Encontrámos o responsável. O homem de 42 anos deu um tiro na cabeça antes de a polícia o capturar. Está morto. Agradecemos ao público a cooperação e ajuda na operação", escreveu a polícia nas redes sociais.

O primeiro-ministro checo Andrej Babiš fala de "uma loucura" e diz-se confiante de que "o autor desta terrível tragédia" seja "capturado em breve".

"Cancelei a minha agenda e estou em contacto com o chefe da polícia , o diretor do hospital, o ministro do interior e o responsável pela operação", escreveu ainda Andrej Babiš pelas redes sociais.

Este tiroteio está a ser categorizado como o segundo mais grave ocorrido na República Checa depois de em fevereiro de 2015 um homem ter matado oito pessoas e se ter suicidado, em Uhersky Brod, no sudeste do país.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.