Rennes proíbe aquecedores nas esplanadas

Rennes proíbe aquecedores nas esplanadas
Direitos de autor Rennes
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Capital da Bretanha é a primeira grande cidade francesa a aplicar a medida anti-poluição.

PUBLICIDADE

Rennes, capital e maior cidade da região da Bretanha, em França, é um local onde o frio aperta, nestes dias de inverno, mas apesar de tudo é possível tomar um café ou uma cerveja na esplanada, graças aos aquecedores. Mas isso vai mudar a partir de um de janeiro. Rennes torna-se na primeira grande cidade francesa a proibir a prática, considerada demasiado poluente. Muitos aplaudem a medida, mas os empregados dos cafés e restaurantes receiam pelos postos de trabalho.

"Não me parece mal. É uma questão ecológica. Se quisermos ir fumar um cigarro saímos e se temos frio vamos para dentro. O aquecimento é um luxo que não é necessário. Pessoalmente, não me faz diferença", diz Eva, cliente de um café. Já a gerente do estabelecimento, Lou, teme pelo pessoal: "As pessoas deixam de ir à esplanada e o problema é que começa a haver demasiado pessoal para as poucas pessoas que se sentam fora"

Rennes segue o exemplo de outras cidades mais pequenas como Evian e Thonon, que também proibiram o aquecimento das esplanadas. A medida está a ser ponderada por outros municípios, incluindo Paris. Uma das divisões administrativas da capital francesa já tentou proibir os aquecedores nas esplanadas há dez anos, mas acabou por optar por um aumento das taxas. Alguns restaurantes queixam-se de que podem vir a perder cerca de 20 mil euros anuais com a medida.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Protesto em Rennes mais uma vez marcado por confrontos

Maior feira de viagens do mundo destaca tendências do turismo

Ministra do Trabalho abre debate sobre horário de encerramento dos restaurantes em Espanha