Última hora
This content is not available in your region

Brinquedos sexuais do século XXI no salão de Las Vegas

Brinquedos sexuais do século XXI no salão de Las Vegas
Direitos de autor
Robyn Beck / AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Os brinquedos sexuais estão, pela primeira vez, presentes no Salão da Eletrónica de Consumo (CES) de Las Vegas. Como em todos os outros setores, também aqui a tecnologia evoluiu muito, nos últimos anos. Até há aparelhos que permitem fazer amor à distância.

Os brinquedos sexuais do século XXI, interligados e controláveis através do telemóvel, estão pela primeira vez na feira de Las Vegas, embora de forma experimental.

Alguns destes objetos de último grito (literalmente) fazem coisas que ninguém poderia sonhar, há uns anos: "Temos uma função de som ambiente, o que significa que pode ser estimulado pelos sons. Pode ser o som do quarto ou da minha voz", explica Megwyn White, diretora da Satisfyer, uma das empresas presentes, a propósito de um dos produtos.

Muitas das empresas, na maioria startups, aqui presentes, são dirigidas por mulheres e concebem objetos para mulheres.

São aparelhos que servem para brincar a um, a dois ou em grupo. A Lovense é uma empresa que criou aparelhos que permitem aos casais fazer amor (ou algo parecido) à distância.

"O parceiro A e o parceiro B estão em cidades diferentes. Podem ser um homem e uma mulher, dois homens ou duas mulheres. Os dois podem sincronizar os aparelhos... assim o parceiro A pode ativar o aparelho do parceiro B e vice-versa. Podem manter uma relação física à distância", explica o diretor Gerard Escaler.

Esta presença não acontece sem alguma polémica: A organização decidiu retirar um prémio de inovação que tinha sido atribuído a um destes produtos, por considerar obsceno - uma decisão que os empresários do setor consideraram, essa sim... verdadeiramente obscena.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.