Última hora
This content is not available in your region

Hezbollah ameaça Estados Unidos

euronews_icons_loading
Hezbollah ameaça Estados Unidos
Direitos de autor  Maya Alleruzzo/Associated Press
Tamanho do texto Aa Aa

À escalada de tensão no Médio Oriente corresponde uma subida de tom na guerra de palavras. Farpas atiradas este domingo pelo líder do Hezbollah, que quis assinalar uma semana da morte do comandante da Guarda Revolucionária iraniana. Hassan Nasrallah agradece a Qassem Suleimani e ao Irão o apoio. Chama "grande diabo" aos Estados Unidos e "grande mentiroso" a Donald Trump.

Diz que os militares norte-americanos no Médio Oriente tem de sair rapidamente. Seja como for. "Os americanos têm de retirar as bases, os militares, comandos e embarcações da nossa região. Devem sair," afirma Hassan Nasrallah acrescentando que a "a alternativa a saírem de pé, vivos, é saírem deitados, em caixões".

O líder xiita libanês do Hezbollah garante que os EUA vão descobrir "com sangue" o erro que fizeram ao matar Suleimani e considerou que o funeral do comandante da Guarda Revolucionária representou a segunda revolução islâmica no Irão.

O discurso de vingança do líder do Hezbollah não teve ainda resposta dos Estados Unidos.