Última hora
This content is not available in your region

Huawei garante transparência

euronews_icons_loading
Huawei garante transparência
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

A Huawei é dos principais líderes no setor das telecomunicações. Mas os governos do Ocidente desconfiam das ligações da empresa com o governo Chinês. Muitos não têm a certeza se podem confiar nas redes 5G, a futura geração das telecomunicações móveis.

É muito mais simples não fazer negócios com a Huawei. Então, não vamos fazer nenhum negócio com eles
Donald Trump
Presidente dos Estados Unidos

Acusações de Espionagem

Os Estados Unidos proibiram a tecnologia da Huawei nas cidades americanas. A Austrália e o Japão têm seguido o exemplo de Washington e muitos países estudam o mesmo caminho, incluindo o Reino Unido, a Dinamarca e a Polónia.

euronews

Numa entrevista recente à euronews, o fundador do gigante de telecomunicações chinês defendeu a tecnologia da empresa. Questionado sobe as acusações de espionagem, Ren Zhengfei garantiu a transparência e o rigor da empresa.

“Se estivéssemos envolvidos em alguma questão de segurança, os Estados Unidos teriam usado como prova para convencer a Europa. A história provou que não fizemos nada de que nos tenham acusado, e que não temos razões para atuar dessa forma” (...) "O lóbi de vários políticos em todo o mundo tem tido um impacto positivo. Em muitos países, um ataque de um país tão poderoso é visto como um sinal da força do Huawei. Não haverá nenhum risco financeiro. O nosso crescimento não será mau. Alguns clientes optaram por não comprar produtos da Huawei, isso é compreensível, mas também há muitos que continuam a comprar".

Tecnologia Transparente

A euronews visitou o campus da Huawei, em Shenzhen, onde está a ser desenvolvida a tecnologia 5G. A empresa apresenta robôs, transmissores e outros dispositivos eletrónicos. Garante uma tecnologia livre de funções de vigilância e sublinha que são os operadores de telecomunicações que têm acesso aos dados dos clientes.

Edward Zhou, vice-presidente para os Assuntos Globais, sublinha que são os operadores de telecomunicações quem fica com os dados dos clientes.

“Claro que não estamos a operar a rede, o que significa que não possuímos nenhum dado. Nós fornecemos as tecnologias e as soluções de produção. Portanto, são os operadores que são os donos dos dados. Eles é que têm de cumprir a lei".

Fora da China, a Europa é o principal mercado da marca. A Huawei contratou vários antigos funcionários de segurança cibernética da União Europeia para defender a expansão dentro do bloco europeu.

A empresa chinesa ultrapassou a Samsung. Atualmente, é o líder mundial de vendas de telemóveis e está preparada para continuar a registar um crescimento anual superior a 50%.