Motins nas prisões italianas

Motins nas prisões italianas
Direitos de autor AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os conflitos começaram com a aplicação de medidas para conter o coronavírus

PUBLICIDADE

As restrições por causa do coronavírus estão na origem da vaga de motins que já afeta perto de 30 prisões em Itália.

Na prisão de Modena, três pessoas morreram depois de invadirem a enfermaria e tomarem uma dose excessiva de medicamentos.

Esta segunda-feira, foram registadas novas tentativas de fuga e distúrbios em vários estabelecimentos prisionais

Uma das novas regras é a redução ou proibição das visitas.

Vemos os nossos familiares sem nada. Não têm máscaras, não têm tratamento, não têm nada.
familiar de detido

Segundo os dados avançados pelo Ministério da Justiça italiano, os incêndios registados em várias prisões causaram “danos graves”.

Dois guardas foram feitos reféns na cidade de Pavia, no norte, e só foram libertados depois de uma operação policial.

As autoridades acreditam que esta onda de violência nasceu da falta de informação sobre o vírus e do pânico entre os presos que não podem sair do mesmo local.

Os motins nas prisões italianas já provocaram seis mortes.

O ministro da Justiça italiano garantiu que as restrições por causa do coronavírus, como o limite de visitas ou a suspensão da liberdade vigiada, servem para garantir o bem-estar dos detidos e só estarão em vigor nos próximos 15 dias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Taxa de reclusão prisional continua a cair na Europa

Covid-19: Situação agrava-se nas prisões na Bélgica

Itália "fecha" Lombardia