Última hora
This content is not available in your region

Europa combate covid-19

euronews_icons_loading
Europa combate covid-19
Direitos de autor  Evanglosz Bugiotisz/MTI/MTVA
Tamanho do texto Aa Aa

A Europa assume medidas mais restritivas de modo a impedir a propagação do novo coronavírus. Em Itália, onde a pandemia já fez mais de 630 mortos e mais de 12.400 pessoas estão infetadas, as ruas das principais cidades estão praticamente desertas depois de o Governo ter decretado, esta semana, a quarentena em todo o país.

Na Polónia, que registou a primeira morte ligada ao covid-19, as escolas foram encerradas por duas semanas, uma medida adotada, também, pelo Governo irlandês liderado por Leo Varadkar.

"Sempre que possível, o ensino será feito em linha ou remotamente. As instituições culturais também fecharão. Aconselhamos que todos os eventos de massas em recintos fechados, com mais de 100 pessoas e os eventos de massas ao ar livre com mais de 500 pessoas sejam cancelados", referiu o governante.

Espanha adotou, também, medidas mais restritivas. Milhares de trabalhadores desinfetam os transportes públicos nas regiões mais afetadas, como Madrid e o Governo cancelou vários eventos públicos e todas as partidas de futebol do campeonato nacional serão à porta fechada nas próximas duas semanas. O país registou um aumento exponencial de infetados contando cerca de três mil casos, onde se incluem vários membros do Executivo de Pedro Sánchez. Os mortos são já mais de 80.

Em todo o mundo, os cientistas continuam com os esforços para encontrar a cura para o covid-19. O Governo francês anunciou a criação de uma unidade especial de investigação.

"É um modelo de estudo adaptativo, o que significa que assim que sabemos que um tratamento não está a funcionar, afastamo-lo, e lidamos com os outros tratamentos. E se houver outros tratamentos que pensamos serem eficazes, podemos adicioná-los", partilhou o Chefe do Departamento de Doenças Infecciosas do Hospital Bichat, em Paris, Yazdan Yazdanpanah.

Os Europeus preparam-se, agora, para a pandemia que os pode obrigar a ficarem confinados em casa. Em muitos países, como a Dinamarca ou Portugal, tem-se registado uma corrida aos supermercados, onde várias prateleiras estão já vazias.

Em Portugal, de acordo com o último balanço das autoridades, o número de infeções ronda as oito dezenas.