COVID-19: Itália vive crise quase sem precedentes

COVID-19: Itália vive crise quase sem precedentes
Direitos de autor Sergio Pontorieri/MTI/MTVA
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Primeiro-ministro italiano decreta fecho de tudo o que não é essencial depois do país voltar a bater recordes no número de mortos: 793 em 24 horas.

PUBLICIDADE

793 mortes em apenas 24 horas. Itália continua a bater recordes e não pelos bons motivos. O número de mortos no país, ligados à COVID-19, ultrapassa já os 4800, enquanto que o número de pessoas que recuperaram é de mais de 6000.

O Primeiro-ministro decidiu fazer o que em muitos países, Portugal e França por exemplo, acontecia já: parar todos os setores da economia que não são "estritamente necessárias, cruciais, indispensáveis para garantir os bens e serviços essenciais", explicou em comunicação ao país Giuseppe Conte enquanto pedia calma e paciência aos italianos, acrescentando que não há alternativa às novas medidas.

Sem precisar, exatamente, o que fecha e o que pode continuar a operar Conte afirmou: "Vamos desacelerar o mecanismo produtivo do país, mas não vamos pará-lo".

Enquanto nos supermercados se mede a temperatura a cada cliente, alguns hotéis foram transformaram-se numa espécie de postos de primeiros socorros para pessoas possivelmente infetadas. Enfermeiros e um médico fazem o possível para apoiar estas pessoas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

População da China diminui pelo segundo ano consecutivo

Rishi Sunak pede desculpa aos familiares das vítimas da Covid-19

Rei da Suécia entrega os Prémios Nobel de 2023