Última hora
This content is not available in your region

Diminuição do contágio dá esperança a Itália

euronews_icons_loading
Diminuição do contágio dá esperança a Itália
Direitos de autor  Domenico Stinellis/Associated Press
Tamanho do texto Aa Aa

As ruas de Itália continuam desertas, devido às medidas de isolamento obrigatório decretadas para tentar travar o novo coronavírus, mas os hospitais continuam cheios de pessoas infetadas. O número de contágios até diminuiu nos últimos três dias, mas as mortes voltaram a aumentar.

"Infelizmente, na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) ainda não vemos os efeitos positivos das medidas restritivas que foram introduzidas há cerca de 12 dias, porque demora alguns dias até um paciente apresentar sintomas e depois a ficar em estado crítico e necessitar da UCI. Espero que nas próximas semanas vejamos alguns resultados destas medidas", deseja Giacomo Grasselli, diretor clínico da Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital Policlínico de Milão.

O aumento do número de mortes na terça-feira, depois de dois dias consecutivos em queda, foi um balde de água fria, mas o número de novas infeções tem vindo a descer. "Parece que há uma ligeira tendência decrescente nos últimos dias, bastante ligeira, mas parece haver uma luz ao fundo do túnel, o que nos dá esperança", sublinha Michele Tempesta das Urgências do Hospital de Pésaro.

Em todo o país, multiplicam-se os esforços para ajudar no combate à pandemia. Nesta fábrica de confeções, agora a única coisa que se produz são máscaras.

Mas o clima ainda de inverno que se verifica no centro e no sul do país não ajuda no combate ao vírus.