Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Os números e as notícias de quinta-feira, 26 de março

Spain Virus Outbreak
Spain Virus Outbreak   -   Direitos de autor  Carlos Gil/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Recorde aqui as notícias de quinta-feira, 26 de março, sobre a pandemia da Covid-19, com as atualizações de acordo com a Hora Central Europeia (CET), uma hora a mais que em Lisboa:

22h10 (CET) - Conselho Europeu concede duas semanas mais para se elaborar plano europeu

Líderes dos 27 Estados-membros da União Europeia, reunidos esta quinta-feira por videoconferência, acordaram adiar por duas semanas uma tomada de posição comum e unânime sobre o plano de ação europeu na luta contra a Covid-19 e o impacto económico da pandemia no bloco.

O Conselho Europeu pediu ao Eurogrupo, presidido pelo português Mário Centeno, para apresentar dentro de suas semanas novas propostas para minimizar os impactos sociais e económicos da Covid-19 nos Estados-membros.

De acordo com agência Ansa, Itália não terá aceitado os termos do plano apresentado a ratificação e ameaçou boicotar a proposta sustentada nas cautelas financeiras, nomeadamente de Alemanha e Países Baixos (Holanda).

Mais informação aqui: Líderes da UE adiam plano anti-covid-19

21h50 (CET) - Brasil soma 77 mortes e mais de 2.900 casos de Covid-19

O Ministério da Saúde do Brasil confirmou a existência, até às 17h30 locais (21h30 CET), de 77 mortes e 2.195 casos de infeção associados ao novo coronavírus.

As autoridades revelaram ainda o internamento de 194 pacientes em unidades de cuidados intensivos (UCI) e de outros 205 em regime de assistência médica regular.

21h14 (CET) - Roma bloqueia cimeira da UE e exige medidas mais robustas contra crise do coronavírus

O primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte não aceita o projeto preparado durante o Conselho Europeu realizado esta quinta-feira por videoconferência para negociar uma resposta económica comum à pandemia de coronavírus.

A informação é avançada pela agência Agi que cita fontes governamentais italianas. A Itália deseja que a UE se dote de "instrumentos financeiros inovadores e de facto adaptados a uma guerra".

21h03 (CET) - Mais de 100 mortes num só dia pela primeira vez no Reino Unido

O número de mortes de pessoas infetadas pela covid-19 no Reino Unido aumentou em mais de 100 num único dia, para 578, anunciou hoje o Ministério da Saúde britânico.

No balanço publicado hoje, indicou a existência de 11.658 casos positivos entre 104.866 pessoas testadas à covid-19, tendo 578 dos infetados morrido, mais 115 do que os 463 óbitos declarados na véspera.

Em declarações à BBC Radio 4, um responsável do sistema nacional de saúde NHS, Chris Hopson, disse ter recebido de diretores de hospitais relatos de um aumento de casos graves, sobretudo em Londres, onde se registam mais de 33% dos casos.

20h04 (CET) - 365 mortos em 24 horas nos hospitais de França

O coronavírus provocou 365 mortos nos hospitais de França em 24 horas e pela primeira vez uma menina de 16 anos. No total, já faleceram 1696 pessoas desde o início da epidemia, anunciou o diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon.

18h45 (CET) - Número global de infeções pela Covid-19 em todo o mundo ultrapassa o meio milhão

De acordo com o Centro de Pesquisa do Coronavírus da Universidade Johns Hopkins, o número, que inclui infeções ativas, óbitos e pessoas recuperadas, é agora de 510.108 casos.

O número global de mortes é de 22.993 e o de pessoas recuperadas é de 120.983.

Universidade Johns Hopkins
Atualizado às 18h26 (CET) de 26 de março de 2020Universidade Johns HopkinsMarques, Francisco

18h15 (CET) - Itália ultrapassa a fasquia dos 8.000 mortos, mas regista também mais quase 1.000 pessoas recuperadas da Covid-19

Subiu para 8.165 o número de mortos em Itália, associados ao novo coronavírus. A Proteção Civil italiana regista um aumento de 662 óbitos em relação ao balanço da véspera. Há, por outro lado, a boa notícia de quase um milhar (999) de pessoas recuperadas da infeção, cifrando-se agora o número total nos 10.361 pessoas com alta após terem estado infetadas.

O número de infeções ativas é agora de 62.013, após a curva de novos casos ter voltado a subir: há mais 4.492 infeções após quatro dias em queda no número de novos casos (3,491, na quarta-feira; 3.612, na terça; 3.780, na segunda; e 3.957 no domingo). No total, entre pacientes em tratamento, mortos e recuperados, Itália regista mais de 80 mil casos de Covid-19.

16h32 (CET) - Classe médica angolana com sentimento de frustração devido aos riscos de infecção

O presidente do Sindicato de Médicos de Angola disse hoje em Luanda que o sentimento entre a classe “é de frustração”, sobretudo pelas debilidades das medidas de biossegurança em relação à coivd-19.

Em declarações à agência Lusa, Adriano Manuel disse que de forma geral a classe médica angolana está preparada para a situação da covid-19, com o registo já de três casos positivos no país, “mas o grande problema são as medidas de biossegurança de que o país não dispõe”.

“Temos alguma dificuldade, com relação à questão dos equipamentos de proteção individual, a biossegurança de uma forma geral. O país tem carência de quase tudo, tem carência de luvas, de máscaras, de óculos”, disse o sindicalista.

16h29 (CET) - Bolsa de Nova Iorque sobe impulsionada por plano de apoio à economia

A bolsa de Nova Iorque registava hoje uma forte subida no início da sessão, após a aprovação pelo Senado de um plano histórico de dois biliões de dólares (1,8 biliões de euros) de apoio à economia.

Às 14:35 (hora de Lisboa), o índice Dow Jones subia 4,34% para 22.122,32 pontos e o Nasdaq, dominado pelo setor tecnológico, somava 3,59% para 7.648,20 pontos.

O índice alargado S&P 500 ganhava 4,07% para 2.576,80 pontos.

13h16 (CET) - Portugal regista hoje 60 mortes associadas à covid-19, mais 17 do que na quarta-feira

Portugal regista hoje 60 mortes associadas à covid-19, mais 17 do que na quarta-feira, e 3.544 casos de infeção, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.

13h00 (CET) - Quase 22 mil mortos em todo o mundo

Quase 22 mil pessoas morreram em todo o mundo infetadas por covid-19, de acordo com um balanço feito pela Agência France Presse (AFP) a partir de dados oficiais divulgados hoje às 11:00.

De acordo com este balanço, o novo coronavírus matou 21.867 pessoas em todo o mundo desde que surgiu em dezembro.

Foram registados 481.230 casos de infeção em mais de 182 países e territórios desde o início da epidemia.

12h30 (CET) - COVID-19 mata mais 655 pessoas em Espanha

Mais 655 mortos em 24 horas, em Espanha, de acordo com a atualização oficial realizada quarta-feira à noite. São já mais de quatro mil as mortes relacionadas com a COVID-19.

Apesar da gravidade destes números, é a primeira vez na semana que há um abrandamento no número de óbitos - menos 83 que ontem.