Última hora
This content is not available in your region

Exames escolares em tempo de pandemia

euronews_icons_loading
Exames escolares em tempo de pandemia
Direitos de autor  AFP
Tamanho do texto Aa Aa

A época de exames começou de uma maneira invulgar na Hungria devido à pandemia da Covid-19. Normalmente, se procuram a chamadas cábulas, ou outro tipo de auxiliares de memória, mas agora o que se faz, à entrada dos exames, é verificar se o aluno tem febre enquanto são distribuídas luvas descartáveis.

Numa escola bilíngue pertencente à igreja batista, em Budapeste, as regras são respeitadas. Os alunos fazem fila, mantendo a distância recomendada, e o seu nome estava já escrito numa cadeira para garantir que as normas são cumpridas.

De acordo com o diretor da secundária Kőrösi Csoma Sándor para além das luvas é feita a desinfeção das mãos antes mesmo de se entrar no edifício. Cada aluno tem de ter máscara de proteção. As regras foram enviadas por email, há alguns dias. Um documento com toda a informação, inclusivamente, para que encontrassem mais rapidamente a sala de exame. Os professores também receberam material de proteção.

Para alguns alunos, que nos últimos dias tiveram aulas a partir de casa, teria sido mais fácil aprender da forma, chamemos-lhe, tradicional. Uma jovem explica que foi muito difícil trabalhar desta forma, sem aulas reais. Porque as aulas eram através da internet e o material não chegava da forma que deveria chegar.

A distância de dois metros, entre os alunos, é também mantida na sala de aula, o tempo todo ventilada. A escola pediu mesmo aos alunos que usassem roupas limpas e cabelos lavados, todos os dias.

Um dos correspondentes da euronews, Zoltán Siposhegyi, em Budapeste, explica que nesta escola 80 alunos finalistas conseguiram ser separados mas que, na próxima semana, 80.000 estudantes e 12.000 professores vão encontrar-se nas provas orais, por todo o país, o que não será uma tarefa fácil.