Última hora
This content is not available in your region

Portugal começa a levantar as restrições

euronews_icons_loading
Portugal começa a levantar as restrições
Direitos de autor  AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Esta segunda-feira, a Euronews acompanhou o arranque da primeira fase de levantamento de restrições, viajando de metro entre Vila Nova de Gaia e o Porto, no norte de Portugal, a região mais afetada pela pandemia.

O Governo português decretou a obrigatoriedade do uso de máscaras nos transportes públicos e em espaços fechados como supermercados ou lojas. A partir de agora, quem não usar máscara no metro, comboio ou autocarro pode ter de pagar uma multa entre 120 e 350 euros.

Mas neste primeiro dia, como a repórter Filipa Soares pôde observar, as autoridades portuguesas tiveram uma abordagem pedagógica com quem não usou máscara.

Sónia Mendes, que trabalha num call center na cidade invicta, conseguiu viajar apenas com um lenço de papel a cobrir-lhe a cara, mas quando chegou à Estação da Trindade foi interpelada e aconselhada a comprar uma máscara numa das máquinas que aí as vendem.

Nesta primeira fase reabriram, por exemplo, as lojas com menos de 200 metros quadrados que dão para a rua, e cabeleireiros e barbearias. No Porto, encontrámos aberta uma das barbearias mais antigas da cidade, embora o proprietário e o cliente tenham mais de 80 anos. Acácio Pereira Branco não acatou as recomendações da Direção Geral de Saúde e resolveu ir trabalhar, embora com "as precauções que todas as pessoas devem ter".

Nas ruas do Porto havia, esta segunda-feira, mais fornecedores do que clientes, com várias lojas abertas, mas sem clientes.

Apesar de as livrarias terem tido autorização para reabrirem esta segunda-feira, a famosa Livraria Lello, que nos últimos anos se tornou um fenómeno de atração turística, continua de portas fechadas.

Nome do jornalista • Filipa Soares

Editor de vídeo • Filipa Soares