Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Os números e as notícias de terça-feira, 26 de maio

Teste para a covid-19
Teste para a covid-19   -   Direitos de autor  PEDRO PARDO/AFP or licensors
Tamanho do texto Aa Aa

Principais destaques desta terça-feira:

  • Portugal soma mais 12 mortes e já contabiliza 1.342 vítimas mortais
  • Reino Unido ultrapassa as 37 mil mortes, depois de registar 134 óbitos nas últimas 24 horas
  • Espanha declara luto nacional por 10 dias em memória das vítimas
  • Vladimir Putin anuncia que a Rússia já passou o pico da pandemia
  • Comissão Europeia vai além do objetivo de angariação de fundos e arrecada 9,5 mil milhões para investigação de uma vacina e tratamentos

21h15 (CET) Dívidas das companhias aéreas podem superar os 500 mil milhões

A dívida acumulada das companhias aéreas poderá atingir no final de 2020 cerca de 550 mil milhões de dólares (504 mil milhões de euros), ou seja, um crescimento de 28% face ao início do ano, de acordo com a IATA (International Air Transport Association).

Em comunicado, a associação revelou que deste total de nova dívida, de cerca de 110 mil milhões de euros, a maioria (61 mil milhões de euros) diz respeito a empréstimos de governos, sendo o resto de fontes comerciais, como bancos e outros instrumentos financeiros.

21h00 (CET) Alemanha prolonga imposição de distanciamento social até 29 de junho

A Alemanha vai prolongar as regras de distanciamento físico até 29 de junho, como forma de prevenção da propagação da pandemia de covid-19, anunciou hoje o Governo germânico.

Em relação às reuniões em espaços fechados, o comunicado do executivo liderado por Angela Merkel sustenta que as “regras de higiene e distanciamento físico também têm de ser aplicadas”.

20h30 (CET) Angola anuncia novo caso e eleva total para 71

A ministra da Saúde de Angola, Sílvia Lutucuta, anunciou hoje um novo caso positivo de infeção pela covid-19, um bebé de dois meses, elevando para 71 o número total de infetados.

A criança que testou positivo reside no bairro Hoji-ya-Henda, sob cerca sanitária, onde vive o “caso 31”, um cidadão da Guiné Conacri associado a vários casos de transmissão local.

19h55 (CET) França soma mais de 28.500 mortos desde o início da pandemia

O número total de mortes associadas à covid-19 em França é já de 28.530, com mais 83 óbitos registados nos hospitais franceses nas últimas 24 horas, segundo os dados divulgados esta terça-feira pelo Ministério da Saúde francês.

Foram também confirmados 276 novos casos no país, elevando assim o total desde o início da pandemia para 145.555, existindo já 65.879 pessoas curadas da infeção provocada pelo novo coronavírus em França.

19h25 (CET) Má imagem do Brasil leva a fuga de investimento estrangeiro

A desvalorização do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, em relação ao agravamento da pandemia da covid-19 no Brasil, o segundo país com mais casos no mundo, está já a danificar a imagem no estrangeiro da maior economia da América do Sul e a confiança dos investidores estrangeiros.

O investimento direto estrangeiro no Brasil caiu de 5,1 mil milhões de dólares em abril de 2019 para 234 milhões de dólares em Abril de 2020, o valor mais baixo deste mês desde 1995, divulgou esta terça-feira o Banco Central do Brasil.

18h50 (CET) Chile à beira dos 78 mil casos e com mais de 800 óbitos

O Ministério da Saúde chileno informou esta terça-feira que, nas últimas 24 horas, foram comunicados 3.964 novos casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2 no país e 45 novas mortes em resultado deste contágio, elevando o número total de casos para 77.961 e o somatório de mortes para 806.

Entre os infetados, 1.202 pacientes estão internados em unidades de cuidados intensivos, dos quais 1.029 estão ligados a ventilação mecânica, com 229 destes a encontrarem-se em estado crítico.

18h25 (CET) Itália soma mais 78 óbitos e está perto das 33 mil mortes

Itália registou 78 novas mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, um número em linha com os últimos três dias, enquanto se verificou uma redução significativa de pessoas doentes em todas as regiões, informou hoje a Proteção Civil italiana.

O número total de óbitos ascende a 32.955 desde o início da pandemia, cujo primeiro caso no país foi detetado em 21 de Fevereiro. Já o número total de casos é de 230.555, o que significa apenas 397 novas infeções diagnosticadas em relação ao dia anterior.

18h00 (CET) Espanha anuncia mais 35 mortos e 194 novos casos

O ministério da Saúde espanhol anunciou hoje 35 mortes e 194 novas infeções por covid-19, elevando o total para 27.117 mortes e 236.259 diagnósticos, após uma nova revisão dos dados sobre a evolução da pandemia.

Porém, com o novo sistema de contabilização, o número total de 27.117 mortos implica uma variação de 283 óbitos, se comparado com o número total fornecido na segunda-feira (26.834).

Os novos casos diagnosticados nas últimas 24 horas não foram além dos 194, embora o ajustamento que foi efetuado no processamento dos dados implica uma variação de 859 casos face aos dados da véspera (235.400).

17h30 (CET) Reino Unido ultrapassa as 37 mil mortes

O Reino Unido atingiu hoje 37.048 mortes por covid-19, após as autoridades britânicas confirmarem mais 134 mortes e 2.004 novos casos nas últimas 24 horas.

O Governo do Primeiro-Ministro Boris Johnson mantém o plano de reabertura de escolas e mercados em Inglaterra a partir da próxima segunda-feira, e de permitir a abertura das restantes lojas não essenciais a partir de 15 de Junho.

17h10 (CET) Voos do espaço Schengen autorizados para toda a República Checa

A República Checa deu hoje mais um passo no alívio das restrições impostas pela pandemia de covid-19 e consumou a reabertura de todos os aeroportos para voos operados no espaço Schengen.

O governo checo anunciou ainda a diminuição do controlo nas fronteiras terrestres com Alemanha e Áustria, impondo apenas controlos aleatórios de viaturas e comboios, embora as pessoas sejam obrigadas a apresentar um certificado de teste negativo ao novo coronavírus.

16h45 (CET) Governo húngaro prevê fim do estado de emergência a 20 de junho

O Governo húngaro deverá terminar o período de estado de emergência no país a 20 de junho, segundo uma publicação na rede social Facebook da ministra da Justiça, Judit Varga.

O regime adotado para o combate à pandemia de covid-19 na Hungria gerou grande polémica, uma vez que o primeiro-ministro, Viktor Orban, teria aproveitado para reforçar os seus poderes e para intensificar a repressão contra vozes críticas.

16h15 (CET) Guiné-Bissau reabre fronteiras e dá início ao desconfinamento

O Governo da Guiné-Bissau decidiu abrir as fronteiras do país e permitir a entrada e saída de pessoas do território nacional, segundo o regulamento do estado de emergência, que foi hoje prolongado pela quarta vez pelo presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, terminando agora a 10 de junho, depois de ter sido declarado inicialmente a 28 de março.

Apesar da abertura de fronteiras, as autoridades guineenses vão manter o recolher obrigatório entre as 20:00 e as 06:00 e as restrições à circulação no território nacional. A Guiné-Bissau regista quase 1.200 casos de covid-19, incluindo sete mortos e 42 recuperados.

16h00 (CET) Putin anuncia que Rússia já atingiu o pico da pandemia

O Presidente russo, Vladimir Putin, disse esta terça-feira que a Rússia já ultrapassou o pico da pandemia de covid-19, anunciando também a nova data da parada militar de comemoração do 75.º aniversário da vitória sobre a Alemanha nazi, que foi adiada devido à pandemia e será agora realizada no dia 24 de junho.

15h30 (CET) Espanha declara 10 dias de luto em memória das vítimas

O Conselho de Ministros chegou hoje a acordo para decretar o luto nacional a partir de amanhã, quarta-feira, durante dez dias, em homenagem às mais de 26.800 pessoas que morreram devido à pandemia, sobre as quais o presidente do Governo, Pedro Sánchez, garantiu que "a sua memória ficará sempre" com o povo espanhol.

Este é o período mais longo de luto durante a democracia espanhola, que entrará em vigor a partir da meia-noite, deixando a bandeira nacional a meia haste em todos os edifícios públicos e navios da Marinha.

15h00 (CET) Cabo Verde regista a quarta vítima mortal

Cabo Verde registou hoje a quarta morte associada à covid-19, uma mulher de 55 anos que estava internada na Praia em estado grave, anunciou o ministro da Saúde, Arlindo do Rosário.

A primeira vítima mortal, que foi também o primeiro caso de covid-19 diagnosticado no país, registou-se na ilha da Boa Vista, um turista inglês de 62 anos. Seguiram-se mais dois casos na Praia, uma mulher de 92 anos e um homem de 65 anos, todos igualmente com outros problemas de saúde associados.

14h30 (CET) Pandemia supera os 5,5 milhões de infetados e 346 mil mortos

A pandemia provocada pelo novo coronavírus já infetou pelo menos 5.505.307 pessoas em todo o mundo, resultando na morte de 346.188, de acordo com os dados compilados até esta manhã pela agência noticiosa francesa AFP.

14h10 (CET) Portugal anuncia mais 12 óbitos e 219 casos

Portugal regista hoje 1.342 mortes relacionadas com a covid-19, mais 12 do que na segunda-feira, e 31.007 infetados, mais 219, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde.

13h50 (CET) Transavia retoma voos para Portugal no dia 4 de junho

A Transavia vai reiniciar progressivamente os seus voos, a partir de 4 de junho, sendo que no caso de Portugal ligará Amesterdão a Faro e Lisboa.

Segundo a companhia aérea holandesa de baixo custo, os passageiros e a tripulação vão usar máscaras em todos os voos para reduzir os riscos de contágio. “Os passageiros devem garantir que possuem a proteção facial necessária (máscaras de boca e nariz, tais como as não médicas, enquanto a tripulação de cabine também usará proteção facial”, refere o comunicado.

13h30 (CET) Comissão Europeia arrecada verba recorde para investigação de vacina

A campanha de angariação de fundos promovida pela Comissão Europeia (CE) para financiar a investigação de tratamentos e vacina para a covid-19 atingiu 9,5 mil milhões de euros, acima do objetivo inicial de 7,5 mil milhões de euros.

A presidente da CE, Ursula von der Leyen, deverá explicar os próximos passos para o combate à pandemia numa declaração à imprensa na próxima quinta-feira.

Outras notícias do dia:

- O Produto Interno Bruto (PIB) dos países da OCDE caiu 1,8% no primeiro trimestre em relação ao último trimestre de 2019 devido à pandemia da covid-19, a segunda maior queda trimestral desde a crise financeira de 2009.

- A Rússia anunciou um número recorde de 174 mortes esta terça-feira, elevando assim o total para 3.807. Já o número de casos subiu para 362.342, na sequência do diagnóstico de mais 8.915 casos nas últimas 24 horas.

- O número de mortos em África pela covid-19 aumentou para 3.471 nas últimas 24 horas, mais 123 em relação à véspera, em mais de 115 mil casos de infeção diagnosticados em 54 países africanos.

- O Presidente da República de Timor, Francisco Guterres Lu-olo, solicitou hoje ao parlamento timorense o prolongamento do estado de emergência devido à covid-19 por mais 30 dias, mas com menos restrições, terminando agora a 27 de junho.

- A Alemanha superou a fasquia dos 179 mil casos, depois de ter registado mais 432 nas últimas 24 horas. Já o número de óbitos está agora nos 8.302, mais 45 em relação ao dia anterior, segundo os dados hoje anunciados pelo Instituto Robert Koch.

A pandemia de SARS-CoV-2

O surto deste novo coronavírus, denominado SARS-CoV-2 e que provoca a doença Covid-19, terá surgido em dezembro num mercado de rua de Wuhan, embora alguns estudos admitam que o vírus já estivesse presente naquela cidade chinesa desde outubro. O primeiro alerta endereçado à Organização Mundial de Saúde aconteceu a 31 de dezembro referindo o caso de uma pneumonia desconhecida. O primeiro registo na Europa surgiu a 24 de janeiro, em França, quatro dias depois dos Estados Unidos. Médicos em França sugerem, entretanto, ter assistido o primeiro paciente no país com Covid-19 a 27 de dezembro depois de repetirem em abril as análises de exames a antigos pacientes com sintomas suspeitos da nova doença. De acordo com os registos oficiais, a pandemia entrou em África, pelo Egito, a 15 de fevereiro, e dez dias depois chegou à América do Sul, pelo Brasil. A pandemia bloqueou a maior parte do mundo desde meados de março. Dois meses depois, apesar da pandemia continuar em expansão, alguns países começam a afrouxar as medidas de contenção e a promover a retoma económica.