Última hora
This content is not available in your region

Entra em vigor quarentena para recém-chegados ao Reino Unido

euronews_icons_loading
Entra em vigor quarentena para recém-chegados ao Reino Unido
Direitos de autor  Rafiq Maqbool/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Entrou em vigor. Britânicos ou estrangeiros, quem entrar no Reino Unido vai ser obrigado a estar em isolamento durante 14 dias. É a mais recente medida do governo de Boris Johnson a entrar em vigor para combater a pandemia de coronavírus.

Os recém-chegados são obrigados a fornecer às autoridades uma morada onde estarão confinados. O desrespeito equivale a uma pesada multa.

A medida é contestada pelas companhias aéreas. Ryanair, British Airways e EasyJet escreveram ao governo. "Apelamos ao governo britânico para remover esta quarentena ineficaz que vai ter um efeito devastador na industria do turismo e vai destruir ainda mais milhares de empregos", pode ler-se num comunicado da Ryanair.

Em contraste, Espanha apela aos estrangeiros para visitarem o país. A industria do turismo gera 12% do produto Interno Bruto do país. "Como sabem, a um de julho o turismo vai regressar e é essencial que os transportes sejam regidos pelos protocolos de segurança de Saúde, harmonizados e acordados por todos”, declarou Pedro Sanchez, primeiro-ministro de Espanha.

No Vaticano, o Papa Francisco está a pedir às pessoas dos países que estão a levantar as restrições a continuarem a seguir as regras das autoridades para contenção da pandemia. "A vossa pequena presença da praça é um sinal de que já passou a fase aguda da pandemia em Itália, mesmo assim é preciso toda a cautela! Não clamem vitória, não clamem por vitória tão cedo", disse o Sumo Pontífice.

Para lá da Europa, a Arábia Saudita ultrapassou os 100 mil casos de coronavírus com mais 3000 novos casos em 24 horas. Há o registo de mais de 700 mortos no total.

E a pandemia amplia-se no Brasil. É o segundo país no mundo com mais casos e o terceiro com mais óbitos por Covid-19. Mesmo assim, para muitos, vale o risco de sair às ruas para protestar. No domingo registaram-se manifestações por diversos motivos em 33 cidades de 20 Estados.

O presidente Jair Bolsonaro decidiu acabar com a publicação dos casos diários de Covid-19. Afirma que os números estão a ser manipulados.