Última hora
This content is not available in your region

Covid: retrato de um aeroporto em "câmara lenta"

euronews_icons_loading
Covid: retrato de um aeroporto em "câmara lenta"
Tamanho do texto Aa Aa

O aeroporto de Saint Exupéry, na cidade de Lyon, tenta regressar lentamente à normalidade desde o fim do confinamento em França, mas continua a um ritmo bastante reduzido. Sébastien inspeciona as pistas, como antes, quatro vezes por dia para retirar detritos, afastar pássaros e controlar tudo o que possa por em risco a circulação dos aviões.

Mas o aeroporto foi, como muitos outros, vítima de uma ameaça inesperada, o coronavírus, e, agora tudo está pensado para tentar oferecer aos passageiros um máximo de segurança sanitária para tentar relançar o mais possível a atividade.

Laurence Alexandrowicz, euronews:"O aeroporto relançou os voos comerciais a 8 de junho, mas em realidade nunca tinha fechado, pois recebeu voos sanitários, de carga e de repatriamento durante o confinamento. Atualmente regista entre 10 e 20 voos por dia, um número que cresce dia a dia."

A limpeza foi reforçada e nas máquinas que distribuiam antes latas de refrigerantes, vemos agora máscaras e gel hidroalcoólico.

Tanguy Bertolus, presidente da direção do aeroporto:"Foram tomadas todas as medidas: distanciamento social com autocolantes no chão, vidros em plexiglass para separar passageiros e pessoal do aeroporto, bancos não utilizados, quatro dezenas de distribuidores de gel adicionais... Tudo foi feito para transmitir confiança aos passageiros."

O aeroporto de Saint Exupéry propõe também um ponto de informação e assistência médica, acessível não só aos passageiros, mas aos empregados das 200 empresas que trabalham nas instalações aeroportuárias. Bombeiros e médicos oferecem aí a possibilidade de um diagnóstico rápido.

Cédric Fechter, diretor-geral do aeroporto:"Em poucos minutos, estará em ligação com um médico capaz de identificar sintomas e oferecer um diagnóstico e mesmo propôr uma receita médica."

Algumas companhias exigem uma declaração de honra que precise a não contaminação com o coronavírus. Atualmente 16 companhias aéreas garantem desde Lyon 46 destinos, ainda bastante longe dos 350 a 400 voos diários que se registavam antes da crise.