Última hora
This content is not available in your region

Grécia usará "todos os meios" para se defender da Turquia

euronews_icons_loading
Navio de pesquisa oceanográfica Oruc Reis
Navio de pesquisa oceanográfica Oruc Reis   -   Direitos de autor  Ibrahim Laleli/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Uma violação direta da soberania grega que terá uma resposta com todos os meios disponíveis, incluindo militares. O aviso é da Grécia à Turquia para que não avance com a missão de pesquisa de gás e petróleo no que considera serem águas territoriais suas.

Ancara diz o contrário e garante que vai avançar com a operação no mediterrâneo a sul das ilhas helénicas de Rhodes, Karpathos and Kastelorizo.

A pressão para a União Europeia apoiar a Grécia aumenta. Emmanuel Macron deixa um aviso.

"Hoje, as questões de segurança e energia são essenciais e estão no centro de lutas de poder, especialmente por parte da Turquia e da Rússia, cada vez mais assertivas, e contra as quais a União Europeia ainda coloca pouco peso. Seria um grave erro deixar a nossa segurança no mediterrâneo nas mãos de outros atores", declarou.

Tanto a União Europeia como os Estados Unidos criticam a posição turca que está a fraturar a unidade entre dois velhos rivais, membros da NATO.

Bruxelas equaciona sanções contra Ancara.

"Temos que dar sinais claros de que estamos do lado dos nossos cidadãos na Grécia e em Chipre e acho que devemos manter o diálogo aberto, mas agora é também altura para atuar, e provavelmente considera sanções contra a Turquia. Nós temos que agir e agir já", insistiu Manfred Webber, eurodeputado alemão.

A Turquia diz que a revindicação territorial grega é maximalista mas que está aberta ao diálogo. No entanto, reitera que as operações marítimas de pesquisa, consideradas a antecâmara de exploração de gás e petróleo, vão mesmo avançar no dia dois de agosto.

As Nações Unidas foram notificadas.