Última hora
This content is not available in your region

Guterres alerta para "catástrofe geracional"

euronews_icons_loading
Guterres alerta para "catástrofe geracional"
Direitos de autor  K.M. Chaudary/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

O mundo vive "a maior disrupção de sempre na área da Educação". As Nações Unidas avançam com números concretos: a pandemia fez com que, pelo menos, 40 milhões de crianças ficassem sem acesso ao ensino pré-escolar. O secretário-geral da ONU fala no risco de "catástrofe geracional".

Nas palavras de António Guterres, "apesar das aulas na rádio, televisão ou online, e do empenho de pais e professores, houve muitos estudantes que ficaram de fora. Alunos com incapacidades, ou em comunidades desfavorecidas, deslocados e refugiados, em zonas remotas, são os que correm o maior risco de exclusão".

Ao todo, foram cerca de 160 países a encerrar escolas por causa da crise sanitária, afetando o percurso de mais de mil milhões de estudantes. Na Europa, a contagem supera os 65 milhões. Em países como a Alemanha, as aulas continuam durante o verão, em algumas regiões.

A ONU lançou uma campanha chamada "Save Our Future" que passa pela definição de prioridades na Educação no contexto em que vivemos. A mais urgente diz respeito à reabertura de escolas assim que a transmissão local de Covid-19 esteja sob controlo.