Última hora
This content is not available in your region

Inquilinos respiram de alívio

euronews_icons_loading
Inquilinos respiram de alívio
Direitos de autor  ANGELA WEISS/AFP or licensors
Tamanho do texto Aa Aa

Um alívio para muitos residentes nos EUA que temiam ser despejados. A administração Trump prolongou a moratória que proíbe a prática, até 2021, para quem comprovar que não pode pagar as rendas.

Uma medida já adotada pelo governo estadual na Califórnia. O decreto tinha sido aprovado pelo Congresso dos EUA em março mas tinha expirado em julho. O ativista Jamell Henderson, da New York Communities for Change, explica que a moratória deveria manter-se até acabar a pandemia. "A cidade de Nova Iorque tem sofrido um duro golpe. Sofremos com a primeira vaga e estamos a preparar-nos para a segunda. Já estamos em setembro, é a temporada da gripe. Não sabemos o que vai acontecer e as pessoas precisam sentir-se seguras", explica.

Marle Supe, 47 anos, mãe de dois filhos, desde abril que vive grandes desafios. Emigrou para os EUA, vinda do Equador há 15 anos. A Covid-19 tirou-lhe, como se costuma dizer, o tapete:

"O meu marido foi contagiado em março. Consegui pagar a renda até abril, depois disso já não. Não é que não queiramos pagar, é porque não temos trabalho. (...) Para fazê-lo ficaríamos sem dinheiro para o nosso sustento, para a alimentação dos nossos filhos", desabafa.

Mas muitos criticam que se minimiza um problema criando outro. São necessárias ajudas para os proprietários que, nesta situação, se encontrem também em dificuldades, o que esteve previsto mas as negociações sobre o dossier, entre Casa Branca e Democratas, estão bloqueadas.