Irão e Rússia obtiveram dados de eleitores norte-americanos

John Ratcliffe (imagem de arquivo)
John Ratcliffe (imagem de arquivo) Direitos de autor Andrew Harnik/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
De  Rodrigo Barbosa com AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Acusação é feita pelo diretor dos serviços secretos norte-americanos, que afirma que Teerão enviou emails ameaçadores para tentar influenciar voto nas presidenciais

PUBLICIDADE

Os Estados Unidos afirma que a Rússia e o Irão obtiveram dados de uma parte do eleitorado norte-americano.

Teerão é mesmo acusada de ter enviado emails para tentar influenciar o voto nas presidenciais de 3 de novembro.

As acusações foram feitas pelo diretor dos serviços-secretos norte-americanos, John Ratcliffe:"Estes dados podem ser usados por atores estrangeiros para tentar comunicar informações falsas aos eleitores, na esperança de semear confusão e caos e minar a confiança na democracia dos Estados Unidos. Nesse sentido, o Irão já enviou emails falsos com o objetivo de intimidar eleitores, incitar a desordem social e prejudicar o presidente Trump."

O anúncio foi feito depois de eleitores democratas terem informado ter recebido emails ameaçadores supostamente assinados por um grupúsculo de extrema-direita, indicando que deviam votar por Trump.

O diretor do FBI garantiu, no entanto, que o sistema eleitoral norte-americano se mantém intacto.

Os serviços secretos norte-americanos concluiram no passado que a Rússia interferiu nas eleições de 2016, para prejudicar Hillary Clinton e beneficiar o atual presidente, cuja equipa de campanha foi acusada de conluio com Moscovo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Processo de seleção do júri promete atrasar julgamento de Trump

Trump paga 175 milhões de dólares para evitar apreensão de bens em caso de fraude

Trump diz que não tem dinheiro para pagar caução de 454 milhões de dólares ao tribunal