Última hora
This content is not available in your region

Candidata pró-europeia lidera primeira volta de presidenciais moldavas

euronews_icons_loading
Candidata pró-europeia lidera primeira volta de presidenciais moldavas
Direitos de autor  Roveliu Buga/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Com 35,52% dos votos, a antiga primeira-ministra moldava, Maia Sandu, venceu a primeira volta das eleições presidenciais na Moldávia.

A candidata do partido da oposição, pró-europeu, Ação e Solidariedade superou o presidente em exercício, Igor Dodon. Com 99% dos resultados apurados, o chefe de Estado, pró-russo, conseguiu 33,08% dos votos, de acordo com dados da Comissão Eleitoral.

Minutos antes do encerramento das urnas, este domingo, Maia Sandu destacou a organização do ato eleitoral, elogiou o sentido cívico dos que exerceram o direito de voto e fez uma declaração de intenções.

"Votei pelo país que luta contra a corrupção e que detém os clãs corruptos. Votei pelo futuro do nosso país para todas as pessoas civilizadas", sublinhou Sandu.

A ex-primeira-ministra também denunciou irregularidades no transporte de pessoas da Transnístria, compra de votos e corrupção. Foram feitas mais de 300 queixas à polícia e as provas recolhidas pelo partido de Sandu foram apresentadas.

O ainda presidente Igor Dodon, por outro lado, agradeceu os que votaram nele: "Votei pela paz. Pela estabilidade, pela amizade dos diferentes representantes das nacionalidades que vivem na república da Moldávia e pelo equilíbrio nas relações com os nossos parceiros europeus."

Para os eleitores da Transnístria, considerados cidadãos moldavos, com direito de voto, foram criadas assembleias de voto.

É a segunda vez que lhes é concedido este direito. A primeira foi à quatro anos atrás, quando Igor Dodon foi eleito presidente.

Ernest Bunguri, Euronews - No domingo, dia de eleições na Moldávia, registaram-se pequenos incidentes em Varnita, uma pequena localidade na interseção com Bender, uma cidade da Transnístria. Alguns veteranos de guerra tentaram bloquear a população da Transnístria que se deslocou de carro, autocarro ou a pé, para votar. As autoridades permitiram a passagem das pessoas para que tudo decorresse normalmente.

De acordo com os resultados anunciados pela Comissão Eleitoral, Renato Usaty, autarca da cidade de Beltsy, a segunda maior do país, ficou em terceiro lugar com 16,98% dos votos. O candidato tinha prometido apoiar Maia Sandu numa segunda volta.

O novo duelo deverá acontecer a 15 de novembro.

O país mais pobre da Europa mantém-se dividido entre perseguir a integração europeia e permanecer sob influência da Rússia.