Última hora
This content is not available in your region

Terrorismo em Viena: cinco mortos e 14 feridos

euronews_icons_loading
Operação policial a decorrer no centro da capital da Áustria
Operação policial a decorrer no centro da capital da Áustria   -   Direitos de autor  ROLAND SCHLAGER / APA / AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos cinco mortos, incluindo um atacante, e 14 feridos foram confirmados pelas autoridades esta terça-feira de manhã, na sequência de um tiroteio ocorrido esta segunda-feira à noite no centro de Viena.

De acordo com informações oficiais, o tiroteio começou por volta das 20 horas (19 horas em Lisboa) e terá partido de vários homens empunhando armas de cano longo, descritas por algumas testemunhas como armas automáticas.

A polícia isolou o perímetro da zona onde ocorreu o tiroteio e uma caça ao homem foi lançada. Pelo menos seis locais de crime foram referidos.

As autoridades reportaram uma vítima mortal e várias feridas, incluindo um polícia, na sequência do ataque, descrito já pelo governo austríaco como terrorista.

Um atacante também acabou morto, baleado pelas autoridades, e não vítima de um cinto de explosivos autodeflagrado como chegou a ser reportado.

Mais tarde, foi confirmado que o atacante trazia consigo um acessório similar a um cinto de explosivos, mas sem qualquer material perigoso.

Os cidadãos foram aconselhados a evitar o centro da capital austríaca e os transportes públicos também foram desviados da zona do tiroteio.

Pelas 23h20 locais, a ocorrência ainda estava ativa, referia a polícia de Viena.

Os avisos da polícia foram publicados nas redes sociais em vários idiomas, incluindo espanhol. Na internet já havia vários vídeos do sucedido a circular e a polícia pediu para não serem partilhadas descontroladamente imagens da ocorrência.

Devido à ocorrência se ter dado junto de uma sinagoga, a segurança particular da comunidade judaica na Áustria pediu a todos os cidadãos judeus a permanecerem recolhidos.

O Governo austríaco definiu este ataque como um ato terrorista.

O chanceler Sebastian Kurz mobilizou "as forças armadas para assumir de imediato a proteção patrimonial" de forma a permitir à polícia que se concentre "plenamente na luta contra o terrorismo".

O chefe do governo austríaco mostrou-se ainda "feliz" por os agentes da polícia terem "eliminado um dos atacantes".

As forças de segurança mantém a operação em curso e estão a pedir a quem tenha fotografias ou vídeos que mostrem o suspeito ou os suspeitos para as partilharem com as autoridades, deixando perceber ainda estar a decorrer uma caça ao homem.