Última hora
This content is not available in your region

Administradores do NEXTA Live acusados

euronews_icons_loading
Administradores do NEXTA Live acusados
Direitos de autor  AP/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades da Bielorrússia abriram um processo criminal contra dois administradores do canal de Telegramas NEXTA Live, ligado à oposição.

De acordo com o Comité de Investigação do país, Roman Protasevich e Stepan Putsila são suspeitos de organizar os tumultos em massa em Minsk, que desde 09 de agosto e até aos dias de hoje, têm perturbado a ordem, incitando ao ódio social.

Putsila e Protasevich, cujo paradeiro é desconhecido, viram os nomes a serem incluídos nas listas de procurados pela Bielorrússia e, também, pela Rússia.

Em outubro, a justiça bielorrussa classificou o canal de Telegramas NEXTA Live, assim como o logótipo, como "materiais extremistas por ter divulgado vídeos com convocações públicas para realizar distúrbios em massa. A decisão do tribunal de Minsk limita, assim, o acesso ao canal, que tem cerca de dois milhões de subscritores e a divulgação dos seus vídeos é punível com uma coima administrativa.

O NEXTA Live tem coordenado, parcialmente os protestos da oposição contra a reeleição do presidente Alexander Lukashenko.