Partir do zero em Nagorno-Karabakh

Partir do zero em Nagorno-Karabakh
Direitos de autor Sergei Grits/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  Nara MadeiraAnelise Borges com AFP, AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A euronews em Nagorno-Karabakh enquanto muitos habitantes se preparam para recomeçar uma nova vida.

PUBLICIDADE

A guerra por Nagorno-Karabakh remonta aos tempos da União Soviética e fez, só nas últimas semanas, dezenas de milhares de deslocados. 

Rovshen Bayramov deixou Shusha, com a família, em 1992. Para trás ficou toda uma vida: a casa onde nasceu e cresceu mas, sobretudo, as suas obras enquanto pintor. Baku acolheu-o e é um artista de renome no Azerbaijão mas, para a sua esposa, é impossível não ouvir o chamamento da sua terra natal. 

Rugza Bayramova, professora, diz que é impossível imaginar o que significa regressar à sua terra natal tantos anos depois. "Sim, vamos voltar para a nossa Shusha, novamente. E sim, não voltaremos a ser chamados de deslocados internos. Vamos viver e trabalhar na nossa terra, novamente", desabafa.

Um momento de emoção e de ansiedade para quem se viu obrigado a partir da cidade onde nasceu há quase 30 anos e para todos os que se preparam agora para começar uma nova vida, ou recuperar uma que lhes foi roubada.

A enviada da euronews a Karbajar, Anelise Borges, explicava que ainda faltavam "várias horas para a transferência do território da Arménia para o Azerbaijão", mas que as forças azeris já tinham bloqueado "uma das principais estradas que ligam a região de Artsakh, ou de Nagorno-Karabakh, à Arménia, por isso as pessoas estão a percorrer rotas alternativas, muitas estão a tentar evacuar esta área, outras regressam para buscar alguns pertences que deixaram nas casas que agora terão de abandonar", adiantava a repórter acrescentando que as "tropas russas já estão na área. Serão 2.000 militares russos a patrulhar a região e a monitorizar o cessar-fogo. Um acordo que foi anunciado aos arménios a meio da noite e através de uma publicação no Facebook, e que fez com que muitas pessoas se debatessem por um plano e se perguntassem que tipo de normalidade trará esta trégua e, talvez mais importante, por quanto tempo vai durar".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Acordo de paz cria mais instabilidade na Arménia

Paz em Nagorno-Karabakh

11 mil pessoas retiradas de cidade russa devido a risco de inundações