Última hora
This content is not available in your region

Fim do ano em combate à covid-19

euronews_icons_loading
Fim do ano em combate à covid-19
Direitos de autor  Pavel Golovkin/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Entre a corrida às vacinas e o aumento das restrições sanitárias, um pouco por todo o mundo há um agravamento das medidas de combate à covid-19.

Reino Unido é o primeiro a dar luz verde a nova vacina

Poucas horas após a aprovação da vacina Oxford Astrazeneca e com uma nova variante do coronavírus em propagação, o governo britânico anunciou medidas mais rigorosas que abrangem agora quase três quartos da população.

O primeiro-ministro Boris Johnson recorreu a um vídeo para justificar o agravamento das restrições, alegando dever-se a "um aumento de 40% nos casos em Inglaterra só na última semana, quase 15% mais pacientes no hospital, mais do que no pico da primeira vaga" e ao registo de "quase mil mortes em todo o Reino Unido, pela primeira vez desde abril", esta terça-feira.

Nas áreas com uma taxa mais elevada de infeção, os encontros no exterior passam a ser limitados a duas pessoas, os serviços não-essenciais ficam encerrados e o mesmo acontece com as escolas primárias; para as restantes, o regresso às aulas será escalonado.

Acima de tudo, a mensagem é para que os britânicos fiquem em casa.

Alemanha mantém restrições

Também na Alemanha é pouco provável um abrandamento das restrições, ao contrário do esperado para meados de janeiro,

Pela primeira vez desde o início da pandemia o país registou mais de mil mortes relacionadas com a covid-19 em 24 horas.

Um número provavelmente inflacionado por atrasos nas notificações, mas que, para as autoridades, são um grave sinal de alerta.

"Os números de mortes e infeções mostram que estamos muito mais longe da normalidade do que o que gostaríamos. Portanto, nesta situação, não vejo como podemos voltar ao modo de pré-confinamento", afirmou o ministro alemão da Saúde, Jens Spahn.

Rússia aposta em vacina local

Na Rússia, a administração da vacina Sputnik V, de origem russa, está propaga-se e vai dar direito a um passaporte de vacinação.

Portugal incentiva, mas não obriga

Os sistemas de vacinação são alvo de debate a nível global. Em Portugal, a vacina contra a covid-19 será voluntária e não vai haver registo de quem se recusar, ao contrário do que, por exemplo, vai ser feito em Espanha.

Escócia promove passagem de ano com distanciamento

Chegado o fim do ano, a Escócia prepara-se para uma despedida visível à distância. E com a maior coreografia de drones alguma vez vista no Reino Unido dirá o adeus a 2020.