Última hora
This content is not available in your region

Mais restrições para poucas vacinas. Países agravam medidas sanitárias contra covid-19

euronews_icons_loading
Mais restrições para poucas vacinas. Países agravam medidas sanitárias contra covid-19
Direitos de autor  Natacha Pisarenko/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

França revê, este sábado, o recolher obrigatório. Em 15 departamentos do nordeste e sudeste do país, a medida passa a ser aplicada a partir das 18, em vez das 20h.

Apesar do agravamento das restrições sanitárias, cerca de 2.500 pessoas juntaram-se recentemente na Bretanha para uma festa de Ano Novo que a polícia que não conseguiu impedir.

França é o primeiro país da Europa Ocidental e o quinto do mundo número de casos registados de covid-19 .

Reino Unido reativa hospitais de emergência

Inflacionado pela nova estirpe mais contagiosa de coronavírus, o número de novos infetados no Reino Unido ultrapassou, esta semana, ao longo de quatro dias consecutivas os 50 mil casos diários. Com os hospitais saturados, o governo britânico agravou as medidas de combate à pandemia e está a reativar unidades hospitalares de emergência.

EUA ultrapassam marco dos 20 milhões de infetados

Os Estados Unidos ultrapassaram os 20 milhões de casos de covid-19, tendo duplicado o número total de infetados em menos dois meses. Atualmente são o país com mais mortos e também com mais casos de infeção confirmados.

México fornece oxigénio

No dia de Ano Novo, habitantes de alguns dos bairros mais atingidos pela pandemia na Cidade do México esperaram em longas filas para reabastecer garrafas de oxigénio.

A medida, promovida pelo município, surge numa altura em que um surto de infeções por coronavírusos deixou os hospitais locais à beira da saturação, não conseguindo fornecer a população.

Jorge Infante, familiar de um doente com covid-19, diz que "em lugares autorizados" é possível encontrar estas garrafas a um preço, mas a fila é tão longa, que por vezes é preciso esperar horas, mesmo pagando", o que leva as pessoas a "ir a lugares privados, onde os preços duplicam ou triplicam".

BioNTech critica União Europeia

O mundo aguarda agora pelas vacinas contra o coronavírus. Mas os fundadores da BioNTech já alertaram para a escassez na produção. Esta semana, a empresa criticou a União Europeia por demorar a aprovar e a encomendar mais doses.

Entretanto, a Organização Mundial da Saúde aprovou a vacina da farmacêutica alemã com a Pfizer para uso de emergência, abrindo caminho à imunização dos países com menos meios contra a covid-19.