Última hora
This content is not available in your region

Primeiro caso da variante sul-africana da Covid-19 identificado em Portugal

euronews_icons_loading
Entrada do Hospital de Santa Maria, Lisboa
Entrada do Hospital de Santa Maria, Lisboa   -   Direitos de autor  Armando Franca/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia anunciou que não vai fechar as fronteiras internas, uma decisão tomada depois do debate entre os líderes dos 27 sobre as novas restrições para travar o novo coronavírus.

No entanto, França decidiu exigir um teste à COVID-19 negativo para entrar em território francês a partir do próximo domingo, o mesmo acontece em Espanha e nos Países Baixos. O governo de Emmanuel Macron, relutante na imposição de um novo confinamento, como no Reino Unido ou na Irlanda, admite agora que pode não ter alternativa já que o país assiste a um nível de contágios preocupante.

Em Portugal, foi detetado, esta sexta-feira, pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge o primeiro caso da variante sul-africana do novo coronavírus.

O país cancelou os voos com o Reino Unido desde sábado e as autoridades britânicas estão a considerar um encerramento total das fronteiras - perante o aumento descontrolado das infeções e com os hospitais à beira do colapso.

A Alemanha registou o primeiro caso da variante brasileira do novo coronavírus. Um passageiro sem sintomas vindo do Brasil testou positivo à Covid-19 no desembarque no aeroporto de Frankfurt.

Apesar da diminuição da percentagem de infeções, as autoridades de saúde decidiram manter o confinamento até 14 de fevereiro e vão concentrar todos os esforços na prevenção. A Alemanha registou mais de 50 mil mortes desde o início da pandemia.

Os números estão direção certa, mas ainda são muito altos. É preciso intensificar os esforços e trabalharmos juntos para reduzir o número de infecções para um nível em que a pandemia seja novamente controlável.
JENS SPAHN
Ministro da Saúde da Alemanha

O disparo nos números em Portugal obrigou o país a fechar todos os estabelecimentos de ensino a partir desta sexta-feira durante, pelo menos, duas semanas. Em confinamento desde a semana passada, o último balanço das autoridades conta mais 234 mortos e quase 14 mil novos casos (13.987). Portugal é líder mundial na percentagem de mortes e de novas infecções por milhão de habitantes. Neste momento, contabiliza mais de 609 mil casos e 9.900 mortes.