This content is not available in your region

Otimismo regressa ao plano de vacinação da União Europeia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Otimismo regressa ao plano de vacinação da União Europeia
Direitos de autor  Robert Michael/(c) dpa-Zentralbild

O otimismo em torno do processo de vacinação está de volta à União Europeia depois de a AstraZeneca e a Pfizer negarem os alegados atrasos na entrega das doses acordadas com os "27" até março.

Em tom conciliatório, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, declarou que as farmacêuticas nunca enfrentaram este tipo de desafio e que os novos obstáculos podem ser resolvidos de forma amigável.

Ainda assim, a falta de vacinas nos números em que eram esperadas está a atrasar as campanhas de inoculação em todos os países Europeus.

A Bélgica, por exemplo, decidiu adiar a vacinação das pessoas com mais de 65 anos até março.

A Hungria recorreu à vacina chinesa Sinopharm, que não foi ainda validada pela União Europeia. O Governo magiar anunciou que planeia ter 800 mil pessoas inoculadas até ao final da semana.

Na Ucrânia, os profissionais de saúde vão ter prioridade. O país recebeu finalmente as primeiras 500 mil doses da AstraZneca na terça-feira.

Sob receios da terceira vaga epidemiológica, a Roménia iniciou o processo de vacinação com os professores. Para além das vacinas da Pfizer/BioNTech, da Moderna, e da AstraZeneca/Oxford, o país receberá também 8 milhões de doses da Johnson & Johnson em Abril.