Última hora
This content is not available in your region

Adeus Capitão Tom Moore

Access to the comments Comentários
De  Teresa Bizarro
euronews_icons_loading
Adeus Capitão Tom Moore
Direitos de autor  Joe Giddens/AP
Tamanho do texto Aa Aa

Este sábado, Bedfordshire, na Inglaterra, foi palco da última homenagem ao capitão Tom Moore, o veterano que, sozinho, angariou mais de 37 milhões de euros para os trabalhadores do serviço nacional de saúde britânico.

Moore morreu este mês, com 100 anos, vítima de Covid-19. A cerimónia fúnebre foi muito restrita, mas seguida por milhares de pessoas através da internet. Um "livro" de condolências online regista mensagens dos quatro cantos do mundo.

Coube a Lucy Teixeira, filha do Capitão Tom, o derradeiro elogio. Momento para lembrar que um dos lemas do pai era: "avançar com o melhor pé" - uma expressão que se traduz por fazer sempre o melhor - e que foi esse o lema que o levou a angariar "uma fortuna" para os profissionais de saúde. Um exemplo e um espírito que, nas palavras da filha, "continuam vivos".

"Amanhã será um bom dia" era uma das frases que costumava usar

Tom Moore serviu na Índia, na Birmânia e em Sumatra durante a II Guerra Mundial. Por causa da Covid-19, decidiu que iria angariar 1.000 libras , dando 100 voltas no quintal até ao dia do centésimo aniversário. A iniciativa tornou-se viral.

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson descreveu-o como um "herói no sentido mais verdadeiro da palavra". A Rainha Isabel II tornou-o cavaleiro da coroa britânica em julho passado.