Bélgica tem plano para desconfinamento progressivo

Bélgica tem plano para desconfinamento progressivo
Direitos de autor Alessandro Pone/LaPresse vía AP
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Entretanto, os hospitais alemães vão acolher doentes checos e Itália agrava as restrições em várias zonas do país.

Bélgica

PUBLICIDADE

O país anunciou um plano de desconfinamento muito gradual, ao mesmo tempo em que os números de infeções começaram novamente a subir. Por enquanto, apenas algumas atividades ao ar livre passam a ser permitidas. Os restaurantes e bares só devem poder reabrir a partir de um de maio e as viagens não-essenciais ficam proibidas pelo menos até às férias da Páscoa.

As medidas foram agora anunciadas pelo primeiro-ministro Alexander de Croo: "É preciso ter esperança. Cinco meses de restrições e grandes esforços tiveram impacto no bem-estar psicológico. É um duro exercício que é preciso levar a cabo.

Chéquia

A situação é muito crítica nos hospitais. Várias unidades de saúde estão a operar em modo catástrofe, o que significa que funcionam abaixo dos padrões de serviço do país, para poder acudir aos casos mais graves. A situação levou já a Alemanha a oferecer ajuda. O chefe da diplomacia Heiko Maas diz que os hospitais alemães vão poder acolher doentes checos.

"Estou em contacto com as autoridades de Praga e dos Estados Federados alemães para que sejam disponibilizadas camas nos hospitais alemães, para que os doentes que precisem e não consigam ser tratados na Chéquia, devido à situação atual, possam ser acomodadas na Alemanha e receber o tratamento adequado", disse Maas.

Itália

As restrições foram apertadas em três regiões: No Véneto (Veneza) e no Friul-Veneza Júlia (Trieste), o nível de alerta passou de amarelo a laranja, enquanto a Campânia, região no Sul onde fica a terceira maior cidade do país, Nápoles, está agora no nível mais elevado e mais rígido, o vermelho.

França

Em França, um grupo de músicos e outros profissionais da cultura ocupou um teatro de Paris, em protesto contra o encerramento do setor e contra a falta de apoios. Como parte dos protestos, o foyer do teatro foi palco de um concerto improvisado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Governo italiano vai introduzir novas regras para reduzir acidentes de trabalho

Família italiana libertada após quase dois anos em cativeiro no Mali

Alessandra Mussolini foi insultada e agredida em Estrasburgo