EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Chéquia faz testagem em massa à população

Chéquia faz testagem em massa à população
Direitos de autor AP / Petr David Josek
Direitos de autor AP / Petr David Josek
De  Ricardo FigueiraJiri Skacel
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Hospitais do país começam a estar saturados com os pacientes de Covid-19.

PUBLICIDADE

São já perto de 8300 pessoas internadas com Covid-19 nos hospitais checos. São cada vez mais as regiões da Chéquia onde as instalações de saúde começam a estar saturadas e onde os pacientes são enviados para zonas menos afetadas.

O governo está agora a por em prática novas medidas, como fechar os infantários e promover a testagem em massa nas empresas.

"Há muita gente a trabalhar nas fábricas, onde é difícil implementar o teletrabalho. Ver como a testagem e outras medidas vão acabar com os casos de Covid nestas empresas é essencial para o sucesso do confinamento", disse à euronews o sociólogo Daniel Prokop.

Por isso, todas as empresas com mais de 50 trabalhadores têm agora de passar por testes obrigatórios. A cervejeira Pilsner Urquell emprega 2000 pessoas, das quais metade na cidade de Pilsen: "Começámos os testes voluntários dos nossos empregados na semana passada. Os testes em massa de todo o pessoal vão começar na próxima semana e devem estar terminados a 12 de março", diz o diretor da empresa, Rudolf Slehofer.

Uma estratégia que falhou

Ao longo dos próximos 14 dias, devem ser testadas dois milhões de pessoas. É preciso saber se isso é suficiente e pode ser feito a tempo: "Na Chéquia, cometemos erros e escolhemos a estratégia de manter a pandemia em valores médios. Isso acaba sempre por se descontrolar. As restrições são decididas demaisado tarde, não são suficientes e são aligeiradas muito rapidamente", diz Daniel Prokop.

A tónica está agora nas vacinas, que começaram a ser dadas aos seniores logo depois do Natal. Diz Marek Stefan, médico no hospital Homolka de Praga: "A vacinação é um dos poucos passos que podem ajudar a que toda a população possa enfrentar a crise do coronavírus".

Até agora, 250 mil pessoas, sobretudo pessoal médico e maiores de oitenta anos, receberam uma segunda dose da vacina. O governo quer agora acelerar o processo, com o apoio de médicos locais e com a abertura de novos centros de vacinação. A eficácia destes regulamentos deve poder ser avaliada em cerca de 14 dias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Andrej Babis lidera sondagens na Chéquia

Democratas pressionam Joe Biden para reavaliar candidatura às presidenciais

Biden infetado com covid-19 suspende ações de campanha