Última hora
This content is not available in your region

Repressão policial aumenta em dia de greve geral em Myanmar

Access to the comments Comentários
De  Pedro Sacadura com AFP
euronews_icons_loading
Repressão policial aumenta em dia de greve geral em Myanmar
Direitos de autor  STR/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Em Mandalay, no norte de Myanmar, e em outras cidades da antiga Birmânia, os protestos continuam a ser a arma de arremesso contra a Junta militar responsável pelo golpe de Estado no país.

Em dia de greve geral convocada pelos sindicatos como forma de pressão, milhares de manifestantes saíram às ruas, esta segunda-feira, em nome da democracia.

Pelo menos seis pessoas foram feridas a tiro em Mandalay, vítimas da repressão policial.

Em Dawei, no sudoeste do país, funcionários públicos, agricultores e trabalhadores do setor privado juntaram-se aos apelos à greve. A Junta militar ameaçou de despedimento os manifestantes que não regressassem ao trabalho.

Já na capital económica, Rangum, várias mulheres comemoraram o dia 8 de março mostrando determinação em protesto contra a Junta Militar.

No leste do país, o braço armado do grupo étnico Karen tomou a dianteira de um protesto para proteger os manifestantes da repressão policial.

As forças militares e policiais já provocaram a morte de mais de 50 manifestantes. Esta segunda-feira duas pessoas foram mortas a tiro durante protestos na cidade de Myitkina.