EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Agência Europeia dos Medicamentos avalia vacina Sputnik V

Agência Europeia dos Medicamentos avalia vacina Sputnik V
Direitos de autor Darko Vojinovic/2021 The Associated Press
Direitos de autor Darko Vojinovic/2021 The Associated Press
De  Nara Madeira com AFP, AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

EMA avalia se a vacina russa cumpre os requisitos da União Europeia. Diretora executiva do organismo diz esperar que ela seja aprovada na UE.

PUBLICIDADE

A Agência Europeia dos Medicamentos pretende fazer inspeções às fábricas e locais onde estão a ser realizados os testes clínicos da vacina Sputnik V, na Rússia, como parte do processo de avaliação. 

A diretora executiva deste organismo afirmou ao Parlamento Europeu que espera que a vacina seja aprovada para utilização na UE. "Estamos em processo de avaliação, de organização de inspeções" explicou Emer Cooke acrescentando esperar que a vacina russa seja "válida, para se junte às que estão já disponíveis para a população europeia". Ou seja, é preciso obter autorização a nível europeu "com base nos mesmos padrões de segurança, qualidade e eficácia que aplicamos a todas as vacinas".

A Comissão Europeia deverá tomar as devidas medidas para fazer com que a Astrazeneca cumpra as suas obrigações contratuais. Por agora os Estados-membros da UE recebem, a conta-gotas, as vacinas. Longe do que foi contratualizado.

A responsável pela direção-geral de Saúde e Segurança dos Alimentos da Comissão Europeia diz que a AstraZeneca tem sido responsável pela "falta de vacinas". É um contrato que é um "problema sério. Esperávamos entregas na casa das centenas e não estamos a receber nem um quarto dessas entregas", afirmou Sandra Gallina.

Já o Instituto Nacional de Doenças Infecciosas e Alergias, dos EUA, vem pôr mais «achas na fogueira» dizendo que os testes realizados pela AstraZeneca neste país incluíram "informações desatualizadas" o que pode significar uma "estimativa incompleta da eficácia" da vacina, diz o organismo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Turistas alemães visitam Moscovo para serem vacinados

Eleições europeias: O que é que os eleitores querem e o que é que os candidatos prometem?

Eleições presidenciais vão ter segunda volta na Lituânia mas Nauseda deve conseguir segundo mandato