Última hora
This content is not available in your region

Aumenta a guerra de palavras entre a Rússia e a Ucrânia

euronews_icons_loading
Aumenta a guerra de palavras entre a Rússia e a Ucrânia
Direitos de autor  STR / AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Com o reforço dos militares dos dois lados da fronteira, aumenta a guerra de palavras entre a Rússia e a Ucrânia.

Volodymyr Zelensky, o presidente ucraniano, disse esta quinta-feira que todos veem uma deterioração da situação em Donbas e que todos os comandantes sabem que os atiradores furtivos estão a apontar para os militares da Ucrânia.

Do outro lado, o Kremlin reafirma os receios de um regresso em larga escala do conflito e admite medidas para proteger as populações locais

Dmitry Kozak, chefe adjunto da Administração Presidencial Russa, garantiu que o país está pronto para se defender. “As formações militares que existem hoje já foram suficientemente endurecidas em batalhas durante sete anos e podem aguentar um ataque”, afirmou.

Esta sexta-feira, a Rússia aumentou o tom e ameaçou a Ucrânia no caso de seguir em frente com a ideia de fazer parte da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Nato). “Contrariamente às expetativas de Kiev, a potencial adesão à Nato não apenas não trará paz à Ucrânia mas, ao contrário, levará a um aumento na escala de tensão no sudeste, causando, talvez, consequências irreversíveis para a manutenção do Estado ucraniano", disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Moscovo, Maria Zakharova.