Última hora
This content is not available in your region

Ex-ministro Manuel Rabelais condenado a 14 anos e meio de prisão

Access to the comments Comentários
De  João Peseiro Monteiro com Agência Lusa
euronews_icons_loading
Antigo ministro e diretor do extinto FRECIMA em julgamento a 9 de dezembro de 2020
Antigo ministro e diretor do extinto FRECIMA em julgamento a 9 de dezembro de 2020   -   Direitos de autor  LUSA/Ampe Rogério/Arquivo
Tamanho do texto Aa Aa

Manuel Rabelais, antigo ministro da Comunicação Social de Angola, foi condenado 14 anos e meio de prisão pelos crimes de peculato e branqueamento de capitais.

Um cúmulo jurídico por atos praticados em 2016 e 2017, na qualidade de director do GRECIMA, o Gabinete de Revitalização da Comunicação Institucional e Marketing da Administração, entretanto extinto.

O coarguido Hilário Gaspar Santos, apontado como assistente administrativo da entidade, acumulou uma pena de 10 anos e meio de prisão.

Para a acusação, os condenados defraudaram o Estado angolano em quase 23 mil milhões de kwanzas (cerca de 30 milhões de euros).

O juiz Daniel Modesto considerou que os arguidos, durante as audiências do julgamento, "não mostraram qualquer arrependimento", o que foi rebatido pela defesa.

"Os arguidos não podiam mostrar arrependimento. Todo o trabalho que fizeram, todos os atos praticados, fizeram-no com a convicção de que estavam a defender os interesses do Estado e a missão que lhes foi incumbida. Não podiam chegar aqui e mostrar arrependimento. Arrependimento é para quem está convencido que praticou algo ilícito, não é o casos deles", disse Amaral Gourgel, advogado de Manuel Rabelais.

A defesa interpôs recurso com efeito suspensivo.

Manuel Rabelais e Hilário Gaspar Santos vão aguardar em liberdade pela apreciação do recurso pelo Tribunal Supremo.

Editor de vídeo • Francisco Marques

Outras fontes • Angop