Última hora
This content is not available in your region

UE quer abrir fronteiras a mais turistas externos

euronews_icons_loading
UE quer abrir fronteiras a mais turistas externos
Direitos de autor  Petros Giannakouris/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Uma nota de esperança para o setor do turismo: a União Europeia anunciou planos para aliviar as restrições às viagens não-essenciais, tanto para quem entra, como para quem se desloca no interior do bloco comunitário.

Bruxelas recomendou a autorização da entrada a viajantes estrangeiros imunizados contra a Covid-19 com uma vacina validada pelo regulador europeu ou provenientes de países com uma boa situação epidemiológica.

Mas os Estados-membros poderão restringir o acesso desde países onde surja uma nova variante, através de um "travão de emergência".

Adalbert Jahnz, porta-voz da Comissão Europeia:"Vai permitir ao Estados-membros agir rapidamente e limitar temporariamente todas as viagens desde países afetados, durante o tempo necessário para aplicar as medidas sanitárias apropriadas."

Quanto aos europeus que pretendem viajar no interior da União Europeia, poderão em breve dispor de um documento que atesta que foram vacinados, recuperaram da Covid-19 ou tiveram um teste PCR negativo.

As propostas são acolhidas de braços abertos pela indústria do turismo, que sofreu uma queda de 70% na Europa, em 2020.

Eduardo Santander, diretor-executivo da European Travel Commission:"É crucial para salvar a época de verão e ajudar os empresários do turismo não apenas a sobreviver, mas a ter novamente rendimento com os seus negócios."

Estima-se que a pandemia pôs em risco 11 milhões de empregos no setor do turismo na Europa e os efeitos da crise serão de longa duração.

Eduardo Santander, diretor-executivo da European Travel Commission:"Vamos ver mais pessoas a viajar de forma diferente. Este verão, haverá ainda uma grande procura de exteriores, com muitos a evitar grandes concentrações de pessoas."

_Os planos de Bruxelas devem ainda ser aprovad_os pelos Estados-membros para poderem ser implementados.