This content is not available in your region

Bielorrussos protestam contra Lukashenko na Polónia

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira  com AFP, AP
euronews_icons_loading
Bielorrussos protestam contra Lukashenko na Polónia
Direitos de autor  AP

Um grupo de bielorrussos, que vive na Polónia, manifestou-se em Varsóvia em apoio à oposição do seu país. Um segundo dia de protestos contra o regime do Presidente Alexander Lukashenko, pedindo sanções contra o chefe de Estado e apelando à União Europeia e aos EUA para agirem pela libertação do jornalista bielorrusso Raman Protasevich e da sua namorada.

Longe deste protesto o presidente norte-americano prometia lutar contra o abuso dos Direitos Humanos. China e Rússia, este último aliado das autoridades da Bielorrússia, estiveram na mira de Joe Biden:

"Tive, recentemente, uma conversa de duas horas com o Presidente Xi, deixando-lhe claro que não podíamos fazer outra coisa senão falar dos Direitos Humanos em todo o mundo, porque somos assim", explicava o chefe de Estado norte-americano. "Encontrar-me-ei com o Presidente Putin dentro de algumas semanas, em Genebra, e deixarei claro que não ficaremos de braços cruzados e não o deixaremos abusar desses direitos", frisava Biden que viajará para a Europa em meados do mês de junho.

Será no dia 16 que se encontrará com Putin, em Genebra, durante e à margem da cimeira de líderes do G7 e da NATO. O presidente dos EUA promete diálogo, se houver espaço para isso, ou novas sanções se, como o próprio disse, a Rússia "continuar a interferir" na sua "democracia".

Putin mantém-se firme ao lado de Lukashenko apesar de muitos países se mostrarem zangados pelo desvio de um avião e a detenção do referido jornalista e da sua namorada que viajavam nele.

A União Europeia já impôs sanções contra Minsk que, e entre outras coisas, não pode cruzar o seu espaço aéreo. O presidente russo,em apoio a Lukashenko não deixa que os aviões dos Estados-membros desviam as suas rotas cruzando o do seu país.