Migrantes na fronteira bielorrussa já têm teto para dormir

Migrantes na fronteira bielorrussa já têm teto para dormir
Direitos de autor Leonid Shcheglov/BelTA
De  Bruno Sousa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Alexander Lukashenko admite que as tropas bielorrussas podem ter ajudado os migrantes a chegar à Europa

PUBLICIDADE

O acampamento improvisado na fronteira entre Bielorrússia e Polónia está vazio. Os milhares de migrantes que aí permaneciam impedidos de entrar em território da União Europeia foram transferidos pelas autoridades bielorrussas para um centro de acolhimento instalado num armazém a algumas centenas de metros da fronteira.

Nestas instalações provisórias têm direito a um teto para se abrigarem das temperaturas negativas, refeições quentes e assistência médica. Já o seu futuro além desta nova morada de curta duração permanece incerto.

Minsk já repatriou algumas centenas de pessoas para o Iraque mas o sonho de chegar à Europa não esmorece entre os migrantes.

Alexander Lukashenko admitiu esta sexta-feira, em entrevista à BBC, que "era possível que as tropas bielorrussas tivessem ajudado os migrantes a chegar à Europa", porque "têm um coração" e de qualquer forma, o destino final "não era a Bielorrússia", mas negou que os tivesse convidado a usar o país como ponto de passagem.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Troca de acusações na fronteira com a Bielorrússia

Biden apoia oposição bielorrussa a Alexander Lukashenko

Bielorrussos protestam contra Lukashenko na Polónia