Última hora
This content is not available in your region

Comissão Europeia aprova Plano de Recuperação e Resiliência de Itália

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Comissão Europeia aprova Plano de Recuperação e Resiliência de Itália
Direitos de autor  ALBERTO PIZZOLI/AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Revitalizar a economia, investir no sul e criar infraestruturas para tornar Itália novamente competitiva. Os três eixos-chave constam do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) que a presidente da Comissão Europeia aprovou, esta terça-feira, durante uma visita a Roma.

Ursula von der Leyen encontrou Mario Draghi, que lidera o executivo do país que receberá a maior tranche de ajuda europeia. São cerca de 200 mil milhões de euros para recuperar da pandemia de Covid-19.

Mas a receção dos fundos implica reformas, que Draghi está preparado para executar.

"É um dia de orgulho para o nosso país. Elaborámos um ambicioso plano de reformas. Trata-se de um plano de investimento que pretende tornar Itália um país mais justo, competitivo e sustentável em matéria de crescimento", sublinhou o primeiro-ministro de Itália em conferência de imprensa.

O encontro com a presidente da Comissão Europeia aconteceu na Cinecittà. Um lugar simbólico até porque uma grande fatia do dinheiro destina-se a ajudar o setor do cinema italiano, duramente castigado com a crise da pandemia de Covid-19.

Mas será que os fundos são suficientes para colocar a economia de novo nos eixos? Cesare Pozzi, professor de Economia Industrial na Universidade Luiss, em Roma, tem dúvidas, até porque a pandemia agravou uma crise económica endémica com vários anos.

"Em 2000, o PIB per capita de Itália estava 20% acima da média europeia. Imediatamente antes da pandemia estamos mais de 6% abaixo da média da União Europeia. O que é que aconteceu?", questionou, em entrevista à Euronews, Cesare Pozzi.

Esta terça-feira, a presidente da Comissão Europeia também esteve em Berlim para aprovar o Plano de Recuperação e Resiliência da Alemanha. Uma nova paragem do périplo para devolver ao continente europeu a necessária esperança pós-pandemia.