Polícia desce o nível de risco no Capitólio

Polícia desce o nível de risco no Capitólio
Direitos de autor Andrew Harnik/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  Teresa Bizarro com Agências
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cerca metálica construída depois da invasão de 6 de janeiro ao edifício-sede do Congresso dos Estados Unidos começou a ser levantada

PUBLICIDADE

Mais de sete meses depois da invasão do Capitólio, a polícia desce o nível de risco no coração de Washington. A cerca metálica que rodeia o edifício-sede do Congresso dos Estados Unidos deve ser completamente removida até segunda-feira.

O acesso ao interior do edifício permanece limitado, mas muitos dos que trabalham no Capitólio questionam a alteração das medidas de segurança anunciadas pela polícia.

Bennie Thompson, Representante do Mississipi na Câmara dos Comuns diz esperar que "as pessoas que tomaram a decisão sejam capazes de convencer os membros do Congresso" e todos os "que trabalham no edifício" que a ameaça que se cumpriu a 6 de Janeiro "diminuiu".

Este democrata foi recentemente designado presidente da comissão parlamentar de inquérito à invasão do Capitólio. Revela que na análise do FBI, a ameaça da "direita radical excedeu em muito qualquer outra" nos Estados Unidos. À luz desta informação, Thompson considera que o trabalho da comissão é ainda "mais importante".

A 6 de Janeiro deste ano, o edifício do Capitólio foi invadido e temporariamente ocupado por apoiantes de Donald Trump indignados com a validação da vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais norte-americanas.

A onda de violência provocou a morte a cinco pessoas. Mais de 100 polícias foram feridos. O episódio é considerado um dos mais trágicos da história da democracia nos Estados Unidos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polícia do Capitólio pede reforço de segurança ao Congresso

Invasores do Capitólio teriam intenção de matar alguns dos eleitos

Trump paga 175 milhões de dólares para evitar apreensão de bens em caso de fraude