Última hora
This content is not available in your region

Estão abertos os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Estão abertos os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
Direitos de autor  Patrick Semansky/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Está dado o início dos Jogos Olímpicos de Tóquio, um ano depois do previsto devido à pandemia da Covid-19.

Sem público nas bancadas do Estádio Olímpico de Tóquio, a cerimónia de abertura dos Jogos das XXXII Olimpíadas da história moderna pôde ser assistida apenas através da televisão.

Coube ao imperador japonês, Naruhito, declarar a abertura oficial dos jogos, e à tenista nipónica, Naomi Osaka, acender a pira olímpica.

Devido aos constrangimentos provocados pela pandemia, as delegações viram-se obrigadas a reduzir o número de representantes no desfile. Das 207 comitivas, a missão de Portugal entrou no Estádio Olímpico de Tóquio com o número 169, e foi liderada pelos porta-estandartes Telma Monteiro e Nelson Évora.

Se no interior da arena, apesar de praticamente vazia, reinou a alegria, a música e a luz, fora do Estádio Olímpico de Tóquio centenas de pessoas manifestaram-se contra a realização das Olimpíadas, numa altura em que o número de casos diários de infeções pelo novo coronavírus voltou a aumentar no Japão.

As forças de segurança foram obrigadas a intervir. Várias pessoas acabaram detidas.

"O estádio nacional japonês estava tão vazio por dentro como por fora para esta cerimónia de abertura sem precedentes. Uma pequena, mas barulhenta manifestação contra a organização dos Jogos Olímpicos durante uma pandemia pôde ser ouvida pelos poucos dignitários e funcionários autorizados a entrar neste vasto espaço vazio. O povo de Tóquio foi convidado a permanecer nas suas casas e assistir à cerimónia na televisão. Ninguém poderá assistir pessoalmente a um evento desportivo, uma grande desilusão para os japoneses. Os organizadores esperam que, com o início das competições, as controvérsias possam ser esquecidas, mas não há entusiasmo aqui na cidade sede", relata o jornalista da euronews Philip Crowther.