Última hora
This content is not available in your region

Cardeal julgado no Vaticano

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Cardeal julgado no Vaticano
Direitos de autor  Riccardo De Luca/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

É um momento simbólico na história da Igreja Católica. Esta terça-feira, o Vaticano começa a julgar dez pessoas por vários crimes financeiros, entre eles desvio de fundos, fraude e abuso de poder.

No banco dos réus está o cardeal Angelo Becciu. Com 73 anos, é o mais alto funcionário da Santa Sé a ser julgado por este tipo de crimes. Foi destituído pelo Papa Francisco no ano passado e é acusado dos crimes de peculato, abuso de poder e suborno. Em causa está um negócio imobiliário em Londres que lesou o Vaticano em 350 milhões de euros.

Apesar de Angelo Becciu dizer que é vítima de um esquema, este é um julgamento de significado histórico e sem precedentes. Pela primeira vez, um cardeal é julgado por um tribunal no Vaticano composto por juízes leigos, graças às reformas do Papa Francisco.

Há menos de três meses, teria sido impossível para um cardeal estar no banco dos réus no Estado da Cidade do Vaticano, que tem o seu próprio sistema de justiça e até mesmo uma prisão. Mas Francisco alterou uma lei para que os cardeais e bispos sediados no Vaticano pudessem ser processados e julgados pelo tribunal penal leigo da Santa Sé, desde que o pontífice assinasse a sua sentença. Anteriormente, os cardeais do Vaticano só podiam ser julgados pelos seus pares.

Este julgamento vai marcar para sempre o pontificado de Bergoglio.