Última hora
This content is not available in your region

"Saúde mental em primeiro lugar", avisa Simone Biles

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
"Saúde mental em primeiro lugar", avisa Simone Biles
Direitos de autor  Gregory Bull/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

É considerada das melhores ginastas de todos os tempos. Simone Biles abandonou a final de equipas de ginástica dos Jogos olímpicos Tóquio 2020 por problemas de saúde mental.

Na conferência de imprensa, os jornalistas perguntaram à atleta norte-americana se queria deixar uma mensagem aos colegas que podem sofrer do mesmo.

Simone Biles aconselhou os atletas a colocarem a saúde mental "em primeiro lugar" porque "se não o fizerem, perdem o gosto pelo desporto e e prestação também não é a mesma", disse a ginasta.

A atleta norte-americana disse também que, por vezes, "mais vale deixar de competir durante uns tempos", e fazê-lo mostra o quão forte um competidor é.

Os EUA acabaram por perder o ouro de ginástica para a equipa da Rússia. A pergunta que se faz agora é, e se Biles tivesse continuado? Teria a equipa norte-americana levado o ouro?

Para Edward Moore, cidadão norte-americano a viver em Houston, Texas, cidade natal de Biles, haveria grande possibilidade dos EUA serem campeões olímpicos, "mas o mais importante é que Biles fique bem mental e fisicamente."

Opinião igual tem Erica Wilson Mcdaniel, também habitante de Houston. Saltou em defesa de Simone Biles.

Erica Wilson Mcdaniel diz que a doença mental "é grave e que passa despercebida" e que por isso apoia Biles a 100% a decisão.

Ainda é cedo para perceber se Biles abdica também das finais individuais da próxima semana. A Federação de ginástica dos EUA publicou em comunicado que a atleta está a ser acompanhada.