Última hora
This content is not available in your region

Talibãs conquistam Kandahar

Access to the comments Comentários
De  Teresa Bizarro com AP, AFP
euronews_icons_loading
Rebeldes junto a um posto de controlo na cidade de Farah
Rebeldes junto a um posto de controlo na cidade de Farah   -   Direitos de autor  Mohammad Asif Khan/AP
Tamanho do texto Aa Aa

Ofensiva talibã segue a caminho da capital do Afeganistão. As principais ligações a norte, sul e oeste de Cabul estão sob domínio dos rebeldes que registaram esta quinta-feira uma das mais simbólicas vitórias, com a conquista de Kandahar, a segunda maior cidade do país, e berço do movimento extremista islâmico.

Menos de duas semanas depois das tropas dos Estados Unidos terem saído do país, o governo perdeu o controlo de dois terços do território. O cerco a Cabul aperta-se e as operações de retirada de estrangeiros já estão em marcha.

Só os Estados Unidos já mobilizaram 8 mil militares para resgatar os cidadãos norte-americanos na capital afegã.

"O primeiro movimento consistirá em três batalhões de infantaria que se encontram actualmente na área de responsabilidade do Comando Central. Eles vão deslocar-se para o Aeroporto Internacional Hamid Karzai, em Cabul, nas próximas 24 a 48 horas. Dois desses batalhões pertencem à Marinha e um ao Exército dos Estados Unidos," revelou John Kirby, porta-voz do Pentágono.Apesar das movimentações militares, As Nações Unidas alimentam ainda a esperança de uma solução diplomática. Representantes do governo afegão e do movimento talibã mantêm-se no Qatar.

Stephane Dujarric, porta-voz do secretário-geral da ONU, diz esperar que "as discussões desta semana em Doha entre os representantes da República Islâmica do Afeganistão e os Talibãs, com os enviados regionais e internacionais, restaurem o caminho para uma solução negociada do conflito."

A velocidade e eficácia da ofensiva talibã supreendeu todos os especialistas e empurrou milhares de deslocados para Cabul. Calcula-se que o cerco à capital deve consolidar-se nos próximos dias. As tropas leais ao governo afegão deverão ser mobilizadas para proteger a cidade.