Última hora
This content is not available in your region

EUA lavam as mãos do impacto da ofensiva talibã no Afeganistão

Access to the comments Comentários
De  Teresa Bizarro com AP
euronews_icons_loading
EUA lavam as mãos do impacto da ofensiva talibã no Afeganistão
Direitos de autor  Mohammad Asif Khan/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente do Afeganistão chegou esta quarta-feira a Mazar-i-Sharif, numa visita surpresa para tentar travar a ofensiva talibã. A principal cidade do norte do país está neste momento cercada pelos rebeldes.

O movimento extremista islâmico controla mais de um quarto das capitais provinciais do país. A maior parte no norte (nove das 34 capitais de província). Cabul revelou entretanto que centenas de membros das forças afegãs renderam-se aos rebeldes.

De Washington chegou um apelo sem contemplações: entendam-se e salvem o país.

"Gastámos mais de um bilião de dólares ao longo de 20 anos. Treinámos e equipámos com material moderno mais de trezentos mil elementos das forças afegãs. Os líderes afegãos têm de se unir. Entre mortos e feridos, perdemos milhares de operacionais. Eles têm de lutar por si; lutar pela sua nação," declarou o residente dos Estados Unidos Joe Biden.

No terreno, a luta continua a ser pelo poder. Os rebeldes estão a empurrar as forças leais ao governo para sul. A capital, para já, ainda não está em risco.