Última hora
This content is not available in your region

Califórnia renova confiança no governador democrata Gavin Newsom

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Califórnia renova confiança no governador democrata Gavin Newsom
Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

O governador da Califórnia, o democrata Gavin Newsom, sobreviveu com larga margem ao referendo revogatório pedido pelos republicanos.

Esta terça-feira, a maioria dos eleitores respondeu "Não" à pergunta: Deve Newsom ser substituído?

O governador celebra o "Não", mas prefere concentrar-se no "Sim", afirmando:

Estamos a desfrutar de uma votação esmagadoramente "Não" esta noite, aqui no estado da Califórnia. "Mas "Não" não é a única coisa que foi expressa hoje à noite. Quero concentrar-me naquilo a que dissemos "Sim", como Estado. Dissemos sim à ciência. Dissemos sim às vacinas. Dissemos sim ao fim desta pandemia. Dissemos sim ao direito de voto das pessoas sem medo de fraude e supressão de votos. Dissemos sim ao direito constitucional fundamental da mulher de decidir por si própria o que faz com o seu corpo, o seu destino e o seu futuro. Dissemos sim à diversidade. Dissemos "sim à inclusão".

Os eleitores eram chamados também a indicar o nome de quem devia suceder a Newsom e o comentador de rádio, Larry Elder, era a figura de proa dos republicanos, e foi a alternativa mais votada, numa corrida com mais de 40 candidatos.

A campanha para o referendo alcançou o maior número de apoiantes no final de 2020 e início de 2021 quando o governador impôs medidas drásticas para travar a pandemia que transformou a Califórnia no estado americano com mais mortes por Covid-19.

Nessa mesma época rebentou um escândalo com a divulgação de fotografias de Newsom a jantar num restaurante de luxo em desrespeito pelas suas próprias medidas restritivas.

Sendo a Califórnia um bastião democrata, as sondagens foram sempre favoráveis a Newsom, mas a margem parecia tão estreita há alguns meses que todo o arsenal político democrata foi mobilizado, incluindo o presidente, Joe Biden, que esteve em campanha no estado na véspera do referendo.

Antes mesmo do encerramento das urnas, já Donald Trump acusava o campo democrata de ter manipulado a consulta popular.