EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Primeiro-ministro holandês chama "idiotas" a manifestantes violentos

Primeiro-ministro holandês chama "idiotas" a manifestantes violentos
Direitos de autor Vadim Ghirda/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Vadim Ghirda/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
De  euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mark Rutte reagiu aos protestos anti-medidas covid-19 do fim de semana, onde foram detidas 51 pessoas e sete ficaram feridas

PUBLICIDADE

É o regresso da normalidade, às ruas de Roterdão, nos Países Baixos, depois de um fim de semana de confrontos entre a polícia e manifestantes indignados com a imposição de medidas anti-covid.

O Primeiro-Ministro holandês não se conteve na reação e disse que os protestos foram pura violência "de idiotas" anti-vacinas.

Mark Rutte diz que como liberal e chefe de governo vai lutar pelo direito à manifestação mas que "nunca irá aceitar que idiotas usem a violência contra o povo que trabalha para manter o país seguro". 

Em dois dias, foram detidos 51 manifestantes e 7 ficaram feridos. As manifestações contra medidas covid-19 aconteceram da Bélgica à Áustria.

Dana Spinant, porta-voz da Comissão da UE, diz que "as manifestações pacíficas são um direito fundamental", mas admite que "numa emergência de saúde pública, certos direitos podem ser restringidos".

O primeiro-ministro da França também reagiu e pediu calma aos manifestantes. Depois de uma reunião com os líderes de Guadalupe, o território francês onde os protestos violentos persistiram durante mais de uma semana, Jean Castex apelou à calma. O Chefe de Governo está desde segunda-feira em isolamento depois de ter testado positivo para a covid-19.

Na Áustria, as medidas covid-19 já estão mais apertadas. O país europeu já entrou num novo confinamento. Muitos restaurantes voltaram aos serviços de take-away, para que, a meio-gás, aguentem os negócios.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Protestos contra novas restrições aumentam na Europa

Protestos contra restrições sanitárias acabam em violência

Protestos contra confinamento na Áustria